sicnot

Perfil

Mundo

Esperadas cerca de 15 mil pessoas em marcha contra o terror em Bruxelas

Cerca de 15 mil pessoas são esperadas hoje na marcha contra o terror e o ódio em Bruxelas, a cinco dias de se completar um mês sobre os atentados no aeroporto e no metro da capital belga, indicou a organização da marcha.

A histórica Praça da Bolsa, em Bruxelas.

A histórica Praça da Bolsa, em Bruxelas.

CHRISTOPHE PETIT TESSON

Com início previsto para o início da tarde, na zona da Estação do Norte, e final na baixa da cidade, numa distância de cerca de dois quilómetros, o cortejo irá passar na praça da Bolsa, onde estão previstos momentos de recolhimento junto do memorial improvisado.

No final do percurso, na praça Fontainas, deverão discursar vários familiares das vítimas, socorristas e funcionários do aeroporto de Bruxelas.

A organização da marcha fez ainda saber que na cabeça do desfile estarão sobreviventes dos atentados, seguindo-se representantes de diferentes comunidades religiosas, tendo 160 associações confirmado a sua presença.

A polícia alertou que, por questões de segurança, estão proibidos sacos e sugeriu que os manifestantes tenham consigo os seus documentos pessoais e utilizem os transportes públicos.

A organização tinha cancelado uma iniciativa semelhante, por solicitação das autoridades, quatro dias depois dos atentados de 22 de março, que mataram 32 pessoas e causaram centenas de feridos.

Porém, nesse dia, surgiram dezenas de autoproclamados 'hooligans', na Praça da Bolsa, que depois de adotarem atitudes provocatórias foram dispersos, nomeadamente com canhões de água utilizados pela polícia.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.