sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades japonesas intensificam operações de resgate após sismo

As autoridades japonesas intensificaram hoje as operações de busca e resgate no sudoeste do Japão, menos de 72 horas após o sismo de sábado, que causou 42 mortos e nove desaparecidos.

reuters

Dois sismos intensos, os mais fortes no Japão desde o terramoto e tsunami de 11 de março de 2011, atingiram a ilha de Kyushu na passada quinta-feira e na madrugada de sábado, o último dos quais alcançou uma magnitude de 7,3.

Os tremores causaram o colapso de centenas de edifícios e deslizamentos de terras e deixaram 35.000 casas sem eletricidade e outras 250.000 sem água corrente, entre outros danos materiais, segundo o Governo de Kumamoto.

O número de vítimas mortais chegou aos 42, a maioria na localidade de Mashiki (prefeitura de Kumamoto), enquanto outras nove pessoas continuam desaparecidas, segundo os últimos dados oficiais.

As operações de busca e resgate foram reforçadas na zona afetada antes de se cumprirem 72 horas desde o sismo mais forte, um prazo considerado crucial para encontrar com vida pessoas presas entre os escombros.

O número de efetivos das forças militares, polícia e bombeiros destacados na zona aumentou até aos 30.000, segundo informou a emissora estatal NHK.

Estes trabalhos foram dificultados pelas chuvas intensas registadas no fim de semana, bem como as constantes réplicas sísmicas.

Desde o primeiro sismo, na quinta-feira, considerado o precursor do tremor principal da madrugada de sábado, foram detetados 527 sismos, segundo os dados da Agência Meteorológica do Japão.

Este organismo também alertou para a possibilidade de se produzirem novos abalos de grande intensidade nos próximos dias.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou hoje que as autoridades "farão todos os esforços possíveis para resgatar com vida os que ainda estão desaparecidos, e para recuperar a zona afetada".

Cerca de 104.900 pessoas foram deslocadas e instaladas em 638 abrigos temporários em Kumamoto e outras 1.048 foram colocadas na prefeitura de Oita

  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.