sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades japonesas intensificam operações de resgate após sismo

As autoridades japonesas intensificaram hoje as operações de busca e resgate no sudoeste do Japão, menos de 72 horas após o sismo de sábado, que causou 42 mortos e nove desaparecidos.

reuters

Dois sismos intensos, os mais fortes no Japão desde o terramoto e tsunami de 11 de março de 2011, atingiram a ilha de Kyushu na passada quinta-feira e na madrugada de sábado, o último dos quais alcançou uma magnitude de 7,3.

Os tremores causaram o colapso de centenas de edifícios e deslizamentos de terras e deixaram 35.000 casas sem eletricidade e outras 250.000 sem água corrente, entre outros danos materiais, segundo o Governo de Kumamoto.

O número de vítimas mortais chegou aos 42, a maioria na localidade de Mashiki (prefeitura de Kumamoto), enquanto outras nove pessoas continuam desaparecidas, segundo os últimos dados oficiais.

As operações de busca e resgate foram reforçadas na zona afetada antes de se cumprirem 72 horas desde o sismo mais forte, um prazo considerado crucial para encontrar com vida pessoas presas entre os escombros.

O número de efetivos das forças militares, polícia e bombeiros destacados na zona aumentou até aos 30.000, segundo informou a emissora estatal NHK.

Estes trabalhos foram dificultados pelas chuvas intensas registadas no fim de semana, bem como as constantes réplicas sísmicas.

Desde o primeiro sismo, na quinta-feira, considerado o precursor do tremor principal da madrugada de sábado, foram detetados 527 sismos, segundo os dados da Agência Meteorológica do Japão.

Este organismo também alertou para a possibilidade de se produzirem novos abalos de grande intensidade nos próximos dias.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou hoje que as autoridades "farão todos os esforços possíveis para resgatar com vida os que ainda estão desaparecidos, e para recuperar a zona afetada".

Cerca de 104.900 pessoas foram deslocadas e instaladas em 638 abrigos temporários em Kumamoto e outras 1.048 foram colocadas na prefeitura de Oita

  • Madrid suspende governo regional da Catalunha

    Mundo

    O chefe do Governo espanhol anunciou hoje que decidiu acionar o artigo 155º da Constituição espanhola e pedir ao Senado a suspensão das funções do governo regional da Catalunha. Em conferência de imprensa justificou a adoção das medidas dada a "desobediência rebelde, sistemática e consciente" do Governo regional (Generalitat).

    Em atualização

  • Manifestações contra os incêndios um pouco por todo o país
    1:33

    País

    Estão marcadas para esta tarde várias manifestações contra os incêndios e as políticas florestais, mas também de homenagem às vítimas dos fogos que arrasaram o país. As iniciativas de protesto são quase todas organizadas através das redes sociais e por grupos de cidadãos.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.