sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades japonesas intensificam operações de resgate após sismo

As autoridades japonesas intensificaram hoje as operações de busca e resgate no sudoeste do Japão, menos de 72 horas após o sismo de sábado, que causou 42 mortos e nove desaparecidos.

reuters

Dois sismos intensos, os mais fortes no Japão desde o terramoto e tsunami de 11 de março de 2011, atingiram a ilha de Kyushu na passada quinta-feira e na madrugada de sábado, o último dos quais alcançou uma magnitude de 7,3.

Os tremores causaram o colapso de centenas de edifícios e deslizamentos de terras e deixaram 35.000 casas sem eletricidade e outras 250.000 sem água corrente, entre outros danos materiais, segundo o Governo de Kumamoto.

O número de vítimas mortais chegou aos 42, a maioria na localidade de Mashiki (prefeitura de Kumamoto), enquanto outras nove pessoas continuam desaparecidas, segundo os últimos dados oficiais.

As operações de busca e resgate foram reforçadas na zona afetada antes de se cumprirem 72 horas desde o sismo mais forte, um prazo considerado crucial para encontrar com vida pessoas presas entre os escombros.

O número de efetivos das forças militares, polícia e bombeiros destacados na zona aumentou até aos 30.000, segundo informou a emissora estatal NHK.

Estes trabalhos foram dificultados pelas chuvas intensas registadas no fim de semana, bem como as constantes réplicas sísmicas.

Desde o primeiro sismo, na quinta-feira, considerado o precursor do tremor principal da madrugada de sábado, foram detetados 527 sismos, segundo os dados da Agência Meteorológica do Japão.

Este organismo também alertou para a possibilidade de se produzirem novos abalos de grande intensidade nos próximos dias.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou hoje que as autoridades "farão todos os esforços possíveis para resgatar com vida os que ainda estão desaparecidos, e para recuperar a zona afetada".

Cerca de 104.900 pessoas foram deslocadas e instaladas em 638 abrigos temporários em Kumamoto e outras 1.048 foram colocadas na prefeitura de Oita

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.