sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 27 mortos em queda de autocarro num desfiladeiro na Índia

Pelo menos 27 membros de um elenco de ópera morreram no domingo e outros 11 ficaram feridos após o autocarro em que viajavam cair por um desfiladeiro de 200 metros no este da Índia, disse à Efe fonte policial.

Arquivo/Reuters

Arquivo/Reuters

© Danish Siddiqui / Reuters

O acidente aconteceu pelas 18:30 de domingo (14:00 em Lisboa), no distrito de Deogarh, estado de Orissa, quando os membros do grupo se dirigiam para a localidade de Sohela, onde iam encenar um ato religioso.

"De acordo com os nossos cálculos, o total de passageiros no autocarro era de 38, mas as buscas continuam para encontrar mais pessoas com vida, apesar de as possibilidades serem escassas", afirmou a superintendente da polícia de Deogarh, Sarah Sharma.

Segundo a agente, os feridos foram transportados para um hospital, sendo que um se encontra "em estado crítico".

Os acidentes de tráfego graves são habituais na Índia, e na maioria dos casos acontecem devido às fracas infraestruturas.

No passado mês de fevereiro 37 pessoas morreram e outras 20 ficaram feridas depois de um autocarro cair de uma ponte num rio, no estado de Gujarat (oeste).

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde de 2013, cerca de 231.000 pessoas morreram nesse ano em acidentes de tráfego na Índia.

Lusa

  • "Tudo o que o Benfica está a fazer é uma forma de coação"
    1:59
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    As queixas do Benfica contra a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga foram tema de debate no Play-Off da SIC Notícias. Rodolfo Reis, Manuel Fernandes e Rui Santos acreditam que a posição está relacionada com o clássico Benfica-Porto do próximo sábado. Já João Alves considera que estes comunicados podem prejudicar o Benfica.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41
  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.