sicnot

Perfil

Mundo

Receitas do Daesh caíram 30% em nove meses

As receitas do autoproclamado Estado Islâmico caíram cerca de 30% desde o ano passado, obrigando a organização a introduzir novos impostos no território que controla, incluindo uma taxa de reparação de antenas parabólicas, segundo um estudo hoje publicado.

O petróleo representa 43% do total de receitas, com o restante a vir do tráfico de droga, da venda de eletricidade e de doações.

O petróleo representa 43% do total de receitas, com o restante a vir do tráfico de droga, da venda de eletricidade e de doações.

© Stringer . / Reuters

"Em março de 2016, o rendimento mensal do Estado Islâmico caiu para 56 milhões de dólares [49 milhões de euros]", declarou Ludovico Carlino, analista chefe do IHS Jane, um instituto especializado que publica regularmente relatórios sobre os territórios controlados pelos extremistas.

"Em meados de 2015, a receita mensal do Estado Islâmico era de cerca de 80 milhões de dólares [71 milhões de euros]", é indicado.

O relatório da IHS, que se baseia em informações dos meios de comunicação e de fontes na Síria e no Iraque, afirma também que a produção petrolífera nas zonas controladas pelo grupo diminuiu de 33.000 para 21.000 barris por dia.

Estas perdas estão largamente relacionadas com os ataques aéreos realizados pela coligação liderada pelos Estados Unidos e pela Rússia.

Cerca de metade das receitas do Estado Islâmico vem de tributação e confisco do comércio de bens, segundo o relatório. O petróleo representa 43% do total, com o restante a vir do tráfico de droga, da venda de eletricidade e de doações.

Segundo o IHS, o Estado Islâmico perdeu cerca de 22% do seu território ao longo dos últimos 15 meses e impõe hoje a sua lei a seis milhões de pessoas, contra os nove milhões anteriores. Assim, a sua receita fiscal diminuiu.

"O Estado Islâmico aumenta agora os impostos sobre os serviços básicos e procura novas formas de obter dinheiro da população", segundo o investigador.

"Estes impostos incluem portagens para os condutores de camiões, taxas para a instalação ou reparação de antenas parabólicas, e 'taxas de saída' a quem tente sair de uma localidade", afirma Carlino.

Segundo o IHS, o grupo extremista introduziu também multas para os que não respondem corretamente a perguntas sobre o Corão, possibilitando pagamento em dinheiro em vez de punições corporais.

Desde o início do conflito sírio em 2011, metade da população do país foi deslocada, com cinco milhões de pessoas a fugirem para o estrangeiro. Mais de 270 mil morreram.

O cessar-fogo decretado sobre a égide da Rússia e dos Estados Unidos em fevereiro não abrange os combates entre o Estado Islâmico e os grupos afiliados à Al-Qaeda.

Lusa

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14

    Crise Migratória na Europa

    Mais de 160 pessoas foram resgatadas de uma embarcação de borracha que estava à deriva junto à zona costeira da Líbia. As imagens do resgate são de aflição, lágrimas e gritos. "Estou grávida! Estou a morrer!", disse uma das mulheres que conseguiu salvar-se. Foram ainda encontrados 13 cadáveres no fundo do barco, entre eles mães e mulheres grávidas. As imagens podem chocar as pessoas mais sensíveis.

  • Mulher vive sozinha numa ilha há 40 anos

    Mundo

    Zoe Lucas é a única pessoa a viver numa ilha canadiana, no norte do Atlântico. Nas últimas quatro décadas, a mulher de 67 tem partilhado a ilha Sable com cerca de 400 cavalos selvagens e 350 espécies de pássaros.