sicnot

Perfil

Mundo

Ataques aéreos em dois mercados provocam 44 mortos na Síria

Pelo menos 44 civis foram hoje mortos em bombardeamentos aéreos atribuídos à aviação síria em dois mercados da província de Idleb (noroeste), controlada pelo ramo local da Al-Qaida, refere o último balanço de uma organização não governamental.

© Ammar Abdullah / Reuters

Ao evocar um massacre, o Observatório sírio dos direitos humanos (OSDH) referiu que pelo menos 37 civis foram mortos nos ataques contra um mercado de vegetais em Maaret al-Noomane, e quando anteriormente tinha emitido um balanço de cinco mortos. Segundo a mesma fonte, sete civis foram ainda mortos no ataque a um mercado de peixe em Kafranbel.

Na mesma província, três crianças foram mortas por obuses lançados por rebeldes islamitas sobre a cidade xiita de Kafraya, um dos dois últimos redutos na região do regime do Presidente Bashar al-Assad.

Desde 2015 que a província de Idleb está dominada pela Frente al-Nosra, o ramo sírio da Al-Qaida, que à semelhança do grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) está excluído da trégua em vigor desde 27 de fevereiro entre regime e rebeldes.

Os ataques aos mercados, os mais sangrentos desde o início do cessar-fogo, ocorreram após o anúncio pela oposição no exílio da suspensão da sua participação nas conversações de paz que decorrem em Genebra, ao acusar o regime de se aproveitar do diálogo para continuar a "bombardear os civis" numa Síria assolada pela guerra 2011.

A OSDH acrescentou que pelo menos sete civis foram mortos na província de Damasco em ataques na localidade de Bala (Ghouta oriental), um bastião da rebelião perto da capital.

Os combates também prosseguiam na província de Lattaquie entre regime e oposição, um dia após dez grupos islamitas terem anunciado uma ofensiva coordenada contra as tropas do regime neste bastião de Assad, em resposta a alegadas "violações" da trégua.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.