sicnot

Perfil

Mundo

Moçambique precisa de 175M€ para assistir vítimas da seca

A ONU anunciou hoje que vai ajudar o Governo moçambicano a mobilizar mais de 200 milhões de dólares (175,8 milhões de euros) para apoiar 1,5 milhões de pessoas afetadas pela seca nas regiões sul e centro do país.

© Eldson Chagara / Reuters

Um comunicado do gabinete da coordenadora residente da ONU em Maputo, Márcia de Castro, enviado à Lusa, diz que o compromisso da organização traduz o apoio à resposta de emergência em Moçambique, após a ativação do alerta vermelho declarado pelo Governo.

"As Nações Unidas estão a trabalhar juntamente com o Governo para assegurar que as necessidades humanitárias das pessoas afetadas pela seca possam ser satisfeitas", declarou Márcia de Castro, citada na nota de imprensa.

Entre as populações afetadas pela seca, provocada pelo fenómeno climático El Niño assinalou a coordenadora, muitas são crianças menores de cinco anos e mulheres grávidas ou em amamentação, com grave desnutrição, particularmente nas províncias de Sofala e Tete, centro de Moçambique.

O comunicado aponta que as Nações Unidas, em estreita coordenação com o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC), Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional, governos provinciais e organizações não-governamentais está a apoiar na provisão de assistência alimentar, nutrição, agricultura, água, saneamento e higiene das pessoas afetadas.

Na semana passada, o Governo moçambicano emitiu um alerta vermelho de 90 dias, anunciando a canalização imediata de 360 milhões de meticais (cerca de seis milhões de euros) para ações de assistência humanitária.

"O Governo vai disponibilizar esse valor de imediato. Os parceiros também já estão a mobilizar de forma intensa os recursos para assistir as populações", afirmou o diretor do INGC, João Machatine, em declarações após uma reunião do órgão.

Lusa

  • UGT reivindica que salário mínimo ultrapasse os 600€
    0:26

    Economia

    O secretário-geral da UGT reivindica que até 2019 o salário mínimo nacional ultrapasse os 600 euros. Este sábado, num congresso distrital na Guarda, Carlos Silva considerou que o Governo tem condições para ir mais além e voltou a defender que para o próximo ano o patamar mínimo para a negociação deve ser os 585 euros.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04
  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.

  • Tony Carreira em Paris com sala cheia
    2:36

    Cultura

    O cantor Tony Carreira actuou ontem em Paris e teve sala cheia a aplaudir os temas que o tornaram conhecido há quase 30 anos. As recentes acusações de plágio não parecem afectar a popularidade do artista, que vai continuar em tournée. A Sic acompanhou o artista neste concerto.