sicnot

Perfil

Mundo

Sismo no Equador provocou 480 mortos, 2560 feridos e 1700 desaparecidos

O violento sismo que atingiu o Equador no sábado provocou pelo menos 480 mortos enquanto 1700 pessoas permanecem desaparecidas três dias após a tragédia, indica um novo balanço anunciado pelas autoridades.

© Guillermo Granja / Reuters

O vice-ministro do Interior, Diego Fuentes, revelou ainda que 2560 pessoas ficaram feridas no abalo com uma magnitude de 7,9º graus na escala de Richter, que atingiu a costa equatoriana do Pacífico no sábado.

O terramoto, registado às 18:58 locais (00:58 de domingo em Lisboa), ocorreu a dez quilómetros de profundidade e com o epicentro a cerca de 173 quilómetros da capital do Equador, Quito, e a apenas 28 quilómetros da cidade costeira de Muisne (noroeste), informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que monitoriza a atividade sísmica mundial.

Lusa

  • Adeptos do Sporting gritaram "Joguem à bola"

    Desporto

    Depois da eliminação da Taça de Portugal, o autocarro do Sporting deixou o Estádio Municipal de Chaves em clima de grante tensão. Vários adeptos leoninos protestaram contra a equipa e pediram explicações.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.