sicnot

Perfil

Mundo

Três membros de família indiana mortos após alegada ligação a sacrifícios humanos

Três membros de uma família indiana foram mortos no domingo depois de trancados numa casa por desconhecidos, que a incendiaram de seguida, na sequência de rumores que davam conta de envolvimento em sacrifícios humanos, indicou hoje a polícia local.

Arquivo Reuters

Segundo Kartih S., chefe da polícia do distrito de Lohardaga, no Estado de Jharkhand, as autoridades policiais indianas prenderam domingo, após o incidente, pelo menos dez homens, depois de centenas de habitantes locais armados com bastões e armas pontiagudas terem atacado a família vitimada.

"Correu o rumor de que teriam raptado crianças para sacrifícios humanos. Logo depois, deu-se o ataque", acrescentou Kartik, adiantando que as autoridades policiais conseguiram resgatar cinco outros membros da mesma família da residência situada em Lohardaga, a 75 quilómetros de Ranchi, capital estadual.

O chefe da polícia local referiu que vários elementos da população local acusaram de feitiçaria o chefe da família vitimada, Gowardhan Bhagat.

Segundo a imprensa local, Bhagat esteve preso há alguns anos, alegadamente por ter decapitado um cidadão local, o que alimentou os receios do seu envolvimento em rituais satânicos.

"Não temos qualquer prova de que (Bhagat) tenha raptado crianças para rituais de sacrifício humano", garantiu Kartik, acrescentando que a polícia está a investigar se o ataque foi orquestrado devido a vinganças pessoais.

Cerca de 2.100 pessoas, na maioria mulheres, foram mortas na Índia entre 2000 e 2012 após terem sido acusadas de bruxaria, segundo dados do Gabinete Nacional de Registo de Crimes.

Alguns estados indianos, incluindo o de Jharkhand, criaram legislação especial para tentar dissuadir os crimes desta natureza.

No entanto, há indicações de sacrifícios humanos ocasionais nas zonas rurais e remotas da Índia.

Segunda-feira, a polícia de Nova Deli resgatou um bebé de quatro meses e deteve três homens, um deles o próprio tio, alegadamente vendida a feiticeiro para sacrifício.

  • Tribunal de Contas apresentou reservas em relação ao SIRESP em 2006

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O Tribunal de Contas avisou em 2006 que o Estado poderia sair prejudicado nos moldes em que o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) estava a ser desenhado. De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, terão sido a ausência de um concurso público, a falta de tempo para a apresentação de propostas e mexidas no caderno de encargos a motivar as reservas do tribunal.

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Chef russo aconselha bife tártaro aos jogadores portugueses
    1:29
  • Bispo do Mali terá contas na Suíça com 12 M€
    1:49

    Mundo

    Há uma polémica a envolver um novo cardeal da Igreja católica. Um bispo do Mali, escolhido pelo Papa para o colégio cardinalício, está a ser relacionado com contas na Suíça onde estarão depositados milhões de euros. A cerimónia que o fará cardeal está marcada para hoje.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.