sicnot

Perfil

Mundo

Alemanha pede à Bélgica para encerrar dois reatores nucleares para testes de segurança

A Alemanha pediu à Bélgica para parar os seus reatores nucleares Tihange 2 e Doel 3, reabertos recentemente após uma longa pausa, para a realização de mais testes sobre a sua segurança, indicou hoje o Ministério do Ambiente.

© Vincent Kessler / Reuters

Berlim tinha pedido a uma comissão de peritos alemães para analisar a segurança dos dois reatores, que representam um terço da potência dos sete reatores belgas.

Tihange 2 e Doel 3 estiveram parados dois anos por receios acerca da sua segurança, devido à existência de fissuras, mas recomeçaram a funcionar em dezembro.

Os especialistas alemães "não têm indícios concretos" que as fissuras representem um perigo, "mas também não podem confirmar que não seja o caso", segundo um comunicado do ministério.

"É por isso que considero que seria bom parar provisoriamente os reatores, para realizar outros testes", declarou a ministra alemã Barbara Hendricks citada no comunicado.

"Fiz o pedido junto do governo belga", adiantou, "(...) isso mostraria que a Bélgica leva a sério as preocupações do seu vizinho alemão".

A Alemanha, que está a fechar os seus reatores nucleares, preocupa-se com o facto das instalações dos seus vizinhos poderem representar uma ameaça para a sua segurança. Além dos belgas, tem pedido a Paris para fechar as centrais de Cattenom, na região de Lorena, e de Fessenheim, na Alsácia.

Lusa

  • Braga perde com Shakhtar e fica fora dos 16 avos de final da Liga Europa
    3:16
  • Ronaldo não está preocupado com repercussões de eventual fuga fiscal
    1:30

    Football Leaks

    Cristiano Ronaldo diz que quem não deve não teme. O avançado português não se mostra preocupado com as notícias que revelam que o jogador não terá declarado os rendimentos da publicidade ao fisco espanhol. Fontes do Ministério das Finanças do país vizinho confirmaram ao jornal El Mundo que o português está a ser investigado há ano e meio.

  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.