sicnot

Perfil

Mundo

Sismos no sudoeste do Japão danificaram mais de 9 mil edifícios

Os sismos que atingiram na quinta-feira e no sábado as prefeituras de Kumamoto e Oita, na ilha de Kyushu, sudoeste do Japão, causaram danos em mais de nove mil edifícios, segundo a imprensa local.

© KYODO Kyodo / Reuters

Os abalos, os mais fortes sentidos no Japão desde aquele que gerou o devastador 'tsunami' de março de 2011, causaram até agora 47 mortos, cinco desaparecidos e mais de mil feridos, enquanto 125 mil pessoas continuam deslocadas, informam as autoridades locais.

Os sismos causaram também danos estruturais em 9.049 imóveis e destes, cerca de mil ficaram completamente destruídos, a maioria na localidade de Mashiki (Kumamoto), segundo dados compilados pela agência de notícias Kyodo.

O primeiro terramoto, de 6,5 graus, atingiu o país na noite de quinta-feira, enquanto o outro, de 7,3, aconteceu na madrugada de sábado, provocando a queda de construções e deslizamentos de terras.

Até às 10:00 de hoje (02:00 em Lisboa) foram registadas mais de 681 réplicas, segundo dados da Agência Meteorológica do Japão, incluindo 89 com intensidade superior a quatro graus.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras