sicnot

Perfil

Mundo

Sismos no sudoeste do Japão danificaram mais de 9 mil edifícios

Os sismos que atingiram na quinta-feira e no sábado as prefeituras de Kumamoto e Oita, na ilha de Kyushu, sudoeste do Japão, causaram danos em mais de nove mil edifícios, segundo a imprensa local.

© KYODO Kyodo / Reuters

Os abalos, os mais fortes sentidos no Japão desde aquele que gerou o devastador 'tsunami' de março de 2011, causaram até agora 47 mortos, cinco desaparecidos e mais de mil feridos, enquanto 125 mil pessoas continuam deslocadas, informam as autoridades locais.

Os sismos causaram também danos estruturais em 9.049 imóveis e destes, cerca de mil ficaram completamente destruídos, a maioria na localidade de Mashiki (Kumamoto), segundo dados compilados pela agência de notícias Kyodo.

O primeiro terramoto, de 6,5 graus, atingiu o país na noite de quinta-feira, enquanto o outro, de 7,3, aconteceu na madrugada de sábado, provocando a queda de construções e deslizamentos de terras.

Até às 10:00 de hoje (02:00 em Lisboa) foram registadas mais de 681 réplicas, segundo dados da Agência Meteorológica do Japão, incluindo 89 com intensidade superior a quatro graus.

Lusa

  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.