sicnot

Perfil

Mundo

DiCaprio, Lagarde e Zuckerberg entre as 100 pessoas mais influentes da revista Time

A revista norte-americana Time publicou hoje a sua lista das pessoas mais influentes do ano, em que se incluem o ator Leonardo DiCaprio, a diretora do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, e o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg.

© Lucas Jackson / Reuters

A revista dividiu a lista em cinco grupos -- titãs, pioneiros, artistas, líderes e ícones --, com perfis dos 100 mais influentes escritos por diferentes personalidades do mundo a que pertencem.

DiCaprio que, após várias nomeações, só este ano ganhou o Óscar de Melhor Ator da Academia Cinematográfica Norte-Americana, pela sua interpretação no filme "The Revenant", não consta da lista enquanto artista, mas como "ícone", pelo seu profuso trabalho em prol das causas ambientais.

"Preparação, autenticidade e inteligência estão na base do que ele é como artista. Mas admiro-o ainda mais por usar essas fantásticas ferramentas para se transformar numa força tão estimulante para proteger o nosso planeta", escreveu, sobre DiCaprio, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

A presidente da Reserva Federal (Fed), Janet Yellen, elogiou na diretora do FMI a capacidade para liderar a organização "em tempos tumultuosos para a economia mundial" e, apesar de integrar a lista dos "líderes", sublinhou o seu caráter "pioneiro", por ser a primeira mulher a ocupar a direção da instituição.

Mark Zuckerberg, acompanhado da mulher, Priscilla Chan, é escolhido pelo casal Bill e Melinda Gates, pela sua vocação filantrópica e por pôr parte do seu talento ao serviço dos outros.

O papa Francisco aparece na lista dos "titãs", ao passo que o cineasta mexicano Alejandro González Iñárritu, que este ano ganhou pela segunda vez consecutiva o Óscar de Melhor Realizador por "The Revenant", surge na lista como "ícone" social, juntamente com o protagonista do filme, Leonardo DiCaprio.

Sobre o chefe da Igreja Católica, o vice-presidente norte-americano, Joe Biden, disse na revista que, na sua visita aos Estados Unidos no ano passado, Francisco paralisou o país e destacou a sua capacidade de personificar os valores humanistas universais.

"Entusiasmou o mundo, porque encarna os princípios básicos da doutrina social católica, que também afetam todas as grandes religiões: toda a gente tem direito a ser tratada com dignidade, temos a obrigação de ajudar os pobres, temos responsabilidades para com os outros e para com o nosso planeta", sublinhou o vice-presidente.

A lista inclui ainda, como em anos anteriores, o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, mas também, desta vez, o magnata e pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump.

Lusa

  • Escritor e filólogo Frederico Lourenço distinguido com o Prémio Pessoa 2016

    Cultura

    O escritor, tradutor, professor universitário Frederico Lourenço foi distinguido com o Prémio Pessoa 2016. O anúncio foi feito hoje pelo presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, no Palácio de Seteais, em Sintra, sublinhando que a atividade de Frederico Lourenço tem como "traço singular" ter oferecido "à língua portuguesa as grandes obras de literatura clássica".

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Explosão no Cairo faz seis mortos

    Mundo

    Seis pessoas morreram hoje numa explosão junto a um posto de controlo da polícia no Cairo, indicaram os meios de comunicação social e responsáveis egípcios.