sicnot

Perfil

Mundo

FBI paga mais de um milhão de dólares para desbloquear um iPhone

A Polícia Federal norte-americana (FBI) pagou mais de um milhão de dólares a 'hackers' para desbloquear o iPhone de um dos autores do atentado em San Bernardino, revelou hoje o diretor do FBI, James Comey.

© Regis Duvignau / Reuters

A Apple encontrou-se, este ano, no centro de um confronto com a justiça americana, por se recusar a ajudar a policia norte-americana a contornar as medidas de segurança para aceder ao conteúdo encriptado do iPhone, incluindo um pertencente a um dos autores do atentado em San Bernardino, na Califórnia, que resultou em 14 mortos no dia 02 de dezembro.

O processo judicial relativo ao caso de San Bernardino foi abandonado quando o FBI foi capaz de desbloquear o dispositivo, recorrendo a piratas informáticos exteriores à Apple.

De acordo com James Comey, estes processos levaram à criação de um "mercado mundial" para piratear o sistema operacional iOS 9, do modelo iPhone 5C utilizado por Syed Farook, que morreu com sua a mulher num tiroteio com a polícia após o seu ataque.

"Um processo criminal não é o melhor lugar para resolver questões importantes de valores que envolvem todos os tipos de coisas que são importantes para nós. Temos de encontrar formas de coexistir com a privacidade e segurança na internet e nos nossos dispositivos com segurança pública", concluiu.

Lusa

  • José Eduardo dos Santos há 38 anos no poder
    2:42

    Mundo

    José Eduardo dos Santos foi o segundo Presidente com mais tempo de liderança a nível mundial, quase 38 anos. Este ano, anunciou que não voltaria a concorrer às eleições, mas mantêm-se, por enquanto, como presidente do MPLA. No dia em que os angolanos foram às urnas para escolher o seu sucessor, apresentamos a vida de José Eduardo dos Santos.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.