sicnot

Perfil

Mundo

Presidente do Equador anuncia grande aumento de impostos devido a sismo

O presidente do Equador, Rafael Correa, anunciou um grande aumento de impostos para cobrir o custo financeiro, calculado em três mil milhões de dólares (cerca de 2,6 mil milhões de euros), do sismo que devastou o país.

© Henry Romero / Reuters

Mais de 525 pessoas morreram desde sábado quando um sismo de magnitude 7,8 na escala de Richter, o pior na América Latina desde o do Haiti em 2010, devastou a costa equatoriana no Pacífico, onde as equipas de socorro continuam a tentar encontrar sobreviventes.

A sua tarefa tem sido complicada devido às mais de 500 réplicas, várias das quais ultrapassaram uma magnitude de 6.

Rafael Correa indicou que o custo do sismo deve representar "dois ou três pontos do PIB (produto interno bruto)" e anunciou uma subida do IVA de 12% para 14% durante um ano.

"De acordo com o que me permite a Constituição em caso de estado de exceção, será estabelecida pela assembleia nacional uma contribuição de dois pontos adicionais sobre o IVA por um ano", declarou o presidente equatoriano na quarta-feira à noite numa mensagem televisiva.

Os trabalhadores terão ainda de pagar uma contribuição obrigatória sobre o salário, que será equivalente a um dia de trabalho para os que ganham 1.000 dólares por mês (884 euros), a dois dias para um ordenado de 2.000 dólares (1.769 euros) e até cinco dias para os que ganham 5.000 dólares (4.424 euros) mensais.

Aqueles cujo património ultrapassa um milhão de dólares (884 mil euros) terão de contribuir com o equivalente a 0,9% dos seus bens.

O presidente anunciou a ainda a venda de ativos do Estado "para ultrapassar este momento difícil", sem precisar quais os ativos os causa.

O sismo e as suas cerca de 500 réplicas representam um golpe severo na economia do Equador já afetada pela descida do preço do petróleo. O país apenas cresceu 0,1% em 2015, contra os 4% previstos pelo governo.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47