sicnot

Perfil

Mundo

Obama deverá visitar Hiroshima em maio

O presidente norte-americano, Barack Obama, irá visitar a cidade de Hiroshima depois da cimeira do G7 no Japão no próximo mês, noticiou esta sexta-feira o diário japonês Nikkei, citado pela agência France Press.

HANNAH MCKAY

Esta será a primeira visita que um chefe de Estado norte-americano faz a uma das duas cidades japonesas arrasadas pelos Estados Unidos com o lançamento de duas bombas atómicas, que ditaram o fim da Segunda Guerra mundial.

Washington "irá acertar com o Japão a visita em 27 de maio, quando terminar a cimeira de líderes do G7", noticia o jornal, que cita, sem identificar, várias fontes oficiais norte-americanas.

A Casa Branca recusou comentar, e o Japão fez saber que não existem quaisquer preparações em curso por parte de ambos os lados no sentido da realização da visita.

Fontes oficiais da Casa Branca disseram que Obama está a pensar parar na cidade no final do próximo mês, por altura da cimeira de líderes do G7, em 26 e 27 de maio, que irá decorrer noutra parte do Japão, na prefeitura de Mie, no centro do país.

Uma visita de Obama terá uma importância simbólica enorme e seguir-se-á à jornada no passado dia 11 do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, a Hiroshima, onde visitou o memorial e o museu dedicados ao bombardeamento da cidade em 1945.

Kerry, que participou na cimeira de chefes da diplomacia do G7, foi até agora o mais alto representante oficial norte-americano a prestar homenagem no local onde os Estados Unidos levaram a cabo o primeiro ataque nuclear e o mais devastador da história da humanidade.

Obama, que recebeu o Prémio Nobel da Paz em 2009 em resultado do seu apelo a um mundo livre de armas nucleares, deverá fazer um discurso sobre a abolição do poder militar nuclear, indica o Nikkei, que cita sem identificar um alto representante do governo norte-americano.

O presidente norte-americano deverá ser acompanhado pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, diz ainda o jornal, que especifica a intenção de Washington notificar formalmente Tóquio destes planos no início do próximo mês.

Interrogado sobre estas preparações hoje, numa conferência de imprensa regular, o mais alto porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga, deixou um muito claro: "não é verdade".

Porém, não deixou de acrescentar que "é muito importante" para o Japão que os líderes mundiais visitem Hiroshima e compreendam a realidade do sofrimento provocado pelo bombardeamento atómico.

A especulação de que Obama se prepara para visitar Hiroshima intensificou-se desde que Kerry afirmou em Hiroshima que toda a gente deveria visitar a cidade.

"Espero que um dia o presidente dos Estados Unidos esteja entre todos aqueles que deveriam vir aqui", afirmou.

Cerca de 140 mil pessoas morreram em resultado direto da explosão nuclear no dia 6 de agosto de 1945, ou mais tarde por efeitos da exposição severa às radiações. A cidade, que albergava uma importante instalação militar durante a guerra, foi literalmente arrasada pela detonação.

O bombardeamento atómico de Nagasaki ocorreu três dias depois, matando mais 74 mil pessoas. O Japão rendeu-se uma semana depois, colocando um ponto final à Segunda Guerra mundial.

Lusa

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19

    Mundo

    O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos recebeu ao início da tarde na Noruega o prémio pelo trabalho que desenvolveu junto das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, FARC. As cerimónias são este sábado e marcadas pela ausência do Nobel da Literatura, Bob Dylan.

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55

    Football Leaks

    Com o escândalo dos agentes de futebol a dar que falar, o Expresso revela este sábado os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa. O nome da empresa de que é administrador, a Energy Soccer, surge na investigação em transferências de jogadores que envolvem o Futebol Clube do Porto num conflito de interesses.