sicnot

Perfil

Mundo

Líder da oposição sul-africana admite recurso à violência para derrubar Governo

O chefe do partido da oposição sul-africana Combatentes pela Liberdade Económica afirmou, numa entrevista à televisão Al-Jazeera, que "em breve perderá a paciência", admitindo o recurso à violência para derrubar o Governo.

Há vários meses que o partido exige a saída do Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, acusando-o de ter corrompido o país.

Há vários meses que o partido exige a saída do Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, acusando-o de ter corrompido o país.

© Mike Hutchings / Reuters

"Não temos medo do Exército, não temos medo de combater, nós vamos combater", disse Julius Malema, líder do EFF (na sigla em inglês).

Há vários meses que o partido exige a saída do Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, acusando-o de ter corrompido o país.

No final de março, Jacob Zuma foi considerado culpado, pela justiça sul-africana, de ter violado a Constituição, ao recusar devolver parte dos 20 milhões de euros do erário público que gastou em obras na sua residência particular.

Frequentemente, os deputados do EFF perturbam as sessões do parlamento, ao interpelarem a presidente da assembleia sobre pontos do regimento ou exibindo 'slogans' contra Zuma.

O líder dos Combatentes pela Liberdade Económica foi excluído, em 2012, do partido Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), no poder, quando dirigia a camada mais jovem de militantes.

Julius Malema fundou, posteriormente, o EFF, partido de esquerda radical, que entrou no parlamento após as eleições legistativas de maio de 2014, onde obteve 6,35% dos votos, tornando-se a terceira força política sul-africana.

Lusa

  • Presidente catalão garante ter plano de contingência
    2:14
  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • Subimos ao novo miradouro no pilar da Ponte 25 de Abril
    2:06
  • Uber perde licença para operar em Londres

    Economia

    O regulador de transporte de Londres decidiu hoje que vai retirar à Uber a licença para operar na capital britânica. A proibição entra em vigor no final deste mês e vai afetar 40 mil motoristas da empresa multinacional norte-americana.

  • 60 sobreviventes resgatados dos escombros no México
    1:21