sicnot

Perfil

Mundo

Chile enterra restos mortais de Pablo Neruda sem certezas sobre causas da morte

O Chile voltou hoje a enterrar os restos mortais de Pablo Neruda, concluindo, ainda sem certezas, um processo com três anos destinado a esclarecer as causas da sua morte, poucos dias depois de Augusto Pinochet chegar ao poder.

© Rodrigo Garrido / Reuters

O féretro do Prémio Nobel da Literatura regressou assim em definitivo à casa onde Neruda foi enterrado, na Isla Negra, três anos depois de um juiz ter ordenado a sua exumação para apurar se o poeta havia sido assassinado em 1973, quando se preparava para fugir do país e liderar no exílio a resistência ao golpe militar que instalou Pinochet no poder.

O funeral concluiu uma homenagem de três dias, iniciada no passado domingo em Santiago do Chile, onde os restos mortais do maior poeta chileno e figura cimeira da literatura mundial do século XX passaram os últimos três anos à guarda do Serviço Médico Legal (SML) chileno.

Neruda, que foi um político proeminente e membro do Partido Comunista chileno, morreu aos 69 anos numa clínica de Santiago em 23 de setembro de 1973, poucos dias depois do golpe militar que levou ao poder Augusto Pinochet, aparentemente em resultado de um cancro da próstata de que padecia, explicação então aceite pelos seus próximos.

Em 2011, o Partido Comunista chileno apresentou em tribunal uma queixa, exigindo que a morte do poeta fosse investigada. A queixa teve por base declarações de Manuel Araya, antigo motorista do escritor, segundo as quais Pablo Neruda teria sido envenenado.

O corpo do autor de "Vinte poemas de amor e uma canção desesperada" e de "Confesso que vivi" foi exumado em 08 de abril de 2013 e os exames e perícias médico-legais afastaram numa primeira instância a intervenção de terceiros na sua morte.

Não obstante estes primeiros resultados, o juiz responsável pela investigação, Mario Carroza, manteve aberto o processo por considerar que os resultados não eram conclusivos e ordenou a realização de novos exames. A equipa de especialistas internacional que examinou os restos mortais de Neruda deverá divulgar as suas conclusões em maio próximo.

Familiares de Pablo Neruda levantaram a hipótese de a sua morte estar relacionada com a inoculação do "estafilococo dourado", uma bactéria altamente agressiva e resistente à penicilina, que acelerou a sua morte.

Esta bactéria foi utilizada frequentemente pela ditadura militar de Pinochet (1973 -- 1990) para eliminar os opositores do regime.

O advogado que levou à exumação dos restos mortais de Neruda, Eduardo Contreras, admitiu hoje à agência France Press que o tempo passado sobre a morte do poeta torna virtualmente impossível provar a intervenção de terceiros na mesma. "Apesar de todas as provas apontarem para um crime, será tecnicamente muito difícil prová-lo", afirmou.

Sem o esclarecimento absoluto das causas da morte, os restos do poeta regressam assim ao túmulo que os albergaram historicamente, ao lado do corpo da sua terceira e última mulher, Matilde Urrutia, na Isla Negra, uma estância balnear chilena, onde Neruda viveu.

Os restos mortais de Pablo Neruda foram no passado domingo transportados da Unidade Especial de Identificação Forense do SML de Santiago para o Salão Nobre do parlamento chileno, onde foram recebidos pela família do poeta e pelos deputados chilenos, e palco de um velório aberto ao público no dia seguinte, segunda-feira.

Hoje rumaram à Isla Negra, onde foram enterrados pela quarta vez, em definitivo. Os dois primeiros funerais foram no Cemitério Geral em Santiago, em túmulos diferentes em 1973 e 1974, e o terceiro em 1992 na casa de Pablo Neruda na Isla Negra, local onde permaneceram até à exumação em 2013 e aonde agora regressam.

Lusa

  • "Sobre este pântano, não é possível jogar futebol seriamente na próxima época"
    4:46

    Opinião

    David Borges esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, da SIC Notícias, onde analisou as acusações do FC Porto ao Benfica, no caso dos e-mails. O comentador da SIC disse que falta saber se "tudo é verdade" e se os documentos são verdadeiros, o que compete ao Ministério Público apurar. David Borges defendeu ainda que era "bom" que a investigação decorresse de forma rápida e profunda; e não acredita que perante a polémica, se consiga jogar "futebol seriamente", na próxima época.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.