sicnot

Perfil

Mundo

Chefe da polícia inglesa suspenso como consequência da tragédia de Hillsborough

O chefe da Polícia de South Yorkshire, na Inglaterra, foi hoje suspenso após a conclusão de um inquérito que atribui àquela força policial responsabilidade pela tragédia de 1989 no estádio Hillsborough, onde morreram 96 adeptos do Liverpool.

© Phil Noble / Reuters

O comissário Alan Billings, oficial eleito e encarregado de policiar a região nordeste inglesa, afirmou ter suspendido David Crompton "baseado na erosão da confiança pública".

"Fiquei sem qualquer outra hipótese, que não a de suspender David das suas funções enquanto chefe da Policia do South Yorkshire", disse o comissário.

Segundo Alan Billings, a sua decisão surgiu após "declarações e comentários na Câmara dos Comuns (Parlamento)", assim como por causa das "inúmeras solicitações de vários quadrantes da sociedade, pedindo a sua resignação".

De acordo com o inquérito, cujas conclusões foram conhecidas na terça-feira, 96 adeptos do Liverpool, que defrontava o Nothingham Forest, foram espezinhados devido a uma série de erros das forças de segurança no Estádio de Hillsborough, em Shefield.

Andy Burnham, da oposição Trabalhista, que desde então acompanhou o caso, foi um dos que pediu a demissão de David Crompton em pleno parlamento, afirmando que a polícia devia ter pedido desculpa durante o inquérito.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.