sicnot

Perfil

Mundo

Menina de 11 anos sozinha e sem bilhete faz voo Moscovo-São Petersburgo

Uma menina russa de 11 anos não acompanhada conseguiu passar todos os controlos de um aeroporto em Moscovo e, sem bilhete, entrar num avião para São Petersburgo. Foi detetada já o avião ia em pleno voo.

© Sergei Karpukhin / Reuters

"Uma menina de 11 anos foi encontrada no aeroporto Poulkovo de São Petersburgo sem a companhia de um adulto. Ela chegou de Moscovo sozinha sem documento de identificação nem bilhete de avião", anunciou a polícia dos transportes da segunda cidade da Rússia.

A criança conseguiu assim passar despercebida em todos os pontos de controlo do aeroporto de Vnoukovo: o pórtico com detetor de metais à entrada, o controlo de bagagens, a verificação dos passaportes e o controlo dos cartões de embarque. De acordo com os serviços de segurança, ela juntou-se por duas vezes a um grupo de adultos com várias crianças.

A companhia aérea onde a menina viajou, Rossiya, diz que o controlo de passageiros é da responsabilidade dos serviços do aeroporto, embora garanta que vai conduzir um inquérito interno.

As medidas de segurança nos aeroportos russos foram reforçadas após o atentado que fez 37 mortos em 2011 no aeroporto moscovita de Domodedovo. Um kamikaze conseguiu passar por todos os controlos e fez-se explodir na sala das chegadas.

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.