sicnot

Perfil

Mundo

Prazo para partidos espanhóis chegarem a acordo termina hoje às 15:00

Os partidos políticos em Espanha têm até 15:00 (em Lisboa) para chegar a um acordo "de última hora" que evite a realização de novas legislativas, mas as principais formações consideram inevitável uma ida às urnas.

© Andrea Comas / Reuters

O presidente da Mesa do Congresso dos Deputados, o socialista Patxi López, referiu na terça-feira que o prazo limite das 16:00 (em Espanha) de hoje para a convocatória de um plenário de investidura. De acordo com a Constituição espanhola, os deputados têm dois meses a contar desde a primeira sessão de investidura para eleger um presidente do Governo.

A 02 de março, o secretário-geral do PSOE e candidato socialista, Pedro Sánchez, submeteu-se a uma sessão de investidura - após convite do rei Felipe VI - e perdeu as duas votações (na primeira teria de ser eleito por maioria absoluta e na segunda, 48 horas depois, apenas precisava de maioria simples).

Assim, a 02 de maio - próxima segunda-feira - cumprem-se os dois meses indicados na Constituição. No mesmo dia, o presidente da Mesa do Congresso elabora um decreto de dissolução das Cortes Gerais (Congresso e Senado), esse documento é publicado no Boletim Oficial do Estado no dia seguinte e 54 dias depois (de acordo com a lei eleitoral), a 26 de junho, realizam-se novas eleições.

O prazo das 16:00 de hoje surge porque depois dessa hora não haverá tempo para convocar um plenário de investidura com tempo suficiente para duas votações. Em primeiro lugar porque se dá 48 horas entre a convocatória do plenário e a realização do mesmo e depois porque uma investidura pode ter duas votações (e entre as duas votações tem de haver outro intervalo de 48 horas).

Apesar de a Constituição espanhola ser bastante omissa quanto a estes procedimentos em caso de uma investidura falhada - inédita na democracia espanhola - os constitucionalistas defendem que o Chefe de Estado - o rei Felipe VI - ainda teria de fazer uma "consulta expresso" aos partidos e convidar um candidato a apresentar-se a votos.

Outros constitucionalistas defendem que um acordo "em contra-relógio" poderia ser votado no próprio dia em que acaba o prazo, 02 de maio, tal como aconteceu em Novembro na Catalunha. Nas eleições para o governo regional, o atual presidente - Carles Puigdemont - foi escolhido a poucas horas do limite.

"Materialmente, seria possível convocar um plenário de investidura mesmo na segunda-feira, 02 de maio", consideraram os professores de Direito Constitucional da Universitat de Barcelona (UB) Joan Vintró e Josep Maria Reniu, citados pelo jornal La Vanguardia.

Por razões excecionais, explicou Joan Vintró, catedrático de Dereito Constitucional, "a presidência da Mesa pode convocar o plenário de urgência", referindo-se ao primeiro prazo de 48 horas. Por outro lado, caso se perspetive uma maioria absoluta (pelo menos 176 deputados) - algo que apenas um acordo PP com PSOE ou uma união de toda a esquerda com os nacionalistas bascos - uma única sessão plenária bastaria, acrescentou Josep Maria Reniu.

Mais difícil seria concertar os tempos de intervenção de todos os intervenientes no plenário a tempo de respeitar o prazo limite (meia-noite de 02 de maio).

Ainda assim, os líderes dos principais partidos - PP, PSOE, Podemos e Ciudadanos - já indicaram que Espanha caminha para novas eleições, ainda que alguns deles tenham ressalvado "a remota hipótese de uma surpresa".

Lusa

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC