sicnot

Perfil

Mundo

ONU diz que ataque a hospital de Alepo "é indesculpável"

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou hoje o bombardeamento de um hospital na cidade de Alepo, no noroeste da Síria, e disse que os ataques contra civis são "violações indesculpáveis da lei humanitária".

© Abdalrhman Ismail / Reuters

"Tem de haver responsabilização por estes crimes", afirmou Ban Ki-moon num comunicado.

"Os ataques que visam civis são violações indesculpáveis das leis humanitárias", acrescentou.

O secretário-geral das Nações Unidas referia-se ao bombardeamento de quarta-feira do hospital Al-Quds, na zona leste de Alepo, que fez 30 mortos, muitos deles civis, mas também médicos e enfermeiros, segundo uma organização de defesa civil local.

Mas Ban Ki-moon referia-se também a "recentes bombardeamentos cegos das forças governamentais e de grupos da oposição e táticas terroristas exercidas por extremistas".

O responsável internacional pediu às partes em conflito para "se empenharem imediatamente na cessação das hostilidades" e a Grupo Internacional para a Síria, em particular aos países que lhe copresidem -- Estados Unidos e Rússia -- para pressionarem para "pôr fim aos combates e garantir investigações credíveis a incidentes como o ataque ao hospital Al-Quds".

Só na última semana, cerca de 200 pessoas morreram em Alepo e, hoje, 53 civis.

As forças do regime de Bashar al-Assad têm em curso uma ofensiva para recuperar o controlo da cidade, grande parte da qual está nas mãos da oposição armada há quatro anos.

Para o Comité Internacional da Cruz Vermelha, Alepo está "à beira de um desastre humanitário".

"Onde quer que se vá, ouvem-se explosões, bombardeamentos e o voo dos aviões. Os habitantes vivem no fio da navalha. Todos temem pela vida e ninguém sabe o que vai acontecer", explicou o representante do CICV na cidade, Valter Gros.

Lusa

  • Bombardeamento a hospital em Alepo causa 27 mortes
    1:14

    Mundo

    O bombardeamento de um hospital em Alepo, na Síria, matou pelo menos 27 civis, entre os quais dois médicos e várias crianças. O ataque é atribuído às forças do regime de Bashar al Assad. A ONU diz que é preciso relançar as tréguas com urgência, sob pena de as negociações de paz na Síria terminarem mal.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01