sicnot

Perfil

Mundo

Maduro anuncia decreto que anula decisões do Parlamento venezuelano

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou hoje que vai emitir, nas próximas horas, um "decreto especial de emergência" para deixar sem efeito decisões que tome o Parlamento venezuelano, onde a oposição é maioria.

Fernando Llano

"Vamos fazer um decreto especial de emergência", disse.

Nicolás Maduro reagia à aprovação, na quinta-feira, de uma moção de censura do parlamento venezuelano contra o atual ministro de Alimentação, Rodolfo Marco Torres, que, segundo a Constituição da Venezuela, obriga o chefe de Estado a removê-lo do cargo.

"Vamos verificar esses artigos da Constituição, para fazer um decreto, no quadro do decreto com vigor constitucional (de emergência nacional) que emiti em janeiro, para deixar sem efeito, constitucionalmente, enquanto durar a emergência económica, qualquer sabotagem que a Assembleia faça contra qualquer ministro, instituição ou órgão do poder popular", disse.

A moção foi aprovada por o ministro não ter comparecido perante aquele organismo para dar explicações sobre a escassez de produtos básicos no país.

Nicolás Maduro falava durante um ato no estado de Anzoátegui, a leste de Caracas. "Não podemos tolerar numa sabotagem" do parlamento, frisou.

"A Assembleia Nacional não semeou nem semeia nem um tomate. Não fez nada para acabar com as filas (de cidadãos à procura de produtos escassos) nem para tratar de me ajudar neste tremendo esforço" para superar a crise, quando o petróleo caiu de 100 para 30 dólares e para manter um país com educação pública, saúde pública, habitações sociais" e garantir que "ninguém para o trabalho, os salários, as pensões", disse.

O chefe de Estado criticou ainda o parlamento por não acatar o decreto presidencial que obriga os serviços públicos a paralisarem as atividades às quartas, quintas e sextas-feiras, para contribuir com a poupança de energia elétrica no país e reduzir a descida do nível de água das barragens, na sequência da seca provocada pelo fenómeno El Niño.

"Nas horas em que estejamos em poupança elétrica, vou mandar cortar a luz ao parlamento", disse Nicolás Maduro em resposta a um mensagem publicada no Twitter do presidente do parlamento, Henry Ramos Allup, que afirmou que na Assembleia Nacional trabalhar-se-á de segunda a sexta-feira.

"O decreto de vadiagem ditado pelo regime não nos parará", escreveu.

Lusa

  • Nicolas Maduro diz que ficará no poder até ao fim do mandato
    1:06

    Mundo

    O Presidente da Venezuela desvaloriza a convulsão social no país e garante que se mantém no poder. Esta quarta-feira registaram-se distúrbios e pilhagens em várias localidades, devido à escassez de alimentos. Milhares de pessoas passaram horas em filas para assinar um documento a exigir um referendo que revogue o mandato do Nicolas Maduro. A grave crise económica no país está a ser agravada pela crise energética.

  • Quatro pessoas assassinadas em Barcelos

    País

    Quatro pessoas, entre elas uma grávida, foram assassinadas hoje em Tamel, no concelho de Barcelos. As vítimas terão sido esfaqueadas e o suspeito já se entregou.

    Em desenvolvimento

  • Défice de 2016 fica nos 2,1%

    Economia

    O défice orçamental ficou nos 2,1% do PIB em 2016, em linha com o previsto pelo Governo. É o valor mais baixo em democracia. Está aberto o caminho ao fim do Procedimento por Défices Excessivos.

    Em desenvolvimento

  • Libertado o ex-Presidente egípcio Hosni Mubarak

    Mundo

    O ex-Presidente egípcio foi libertado hoje, depois de ter sido absolvido por um tribunal de recurso, no início deste mês. Hosni Mubarak estava agora confinado a um hospital militar. O antigo chefe de Estado tinha sido condenado em 2012 pela morte de manifestantes nos protestos da Primavera Árabe.

  • Comissão Europeia quer proibir o tabaco na praia

    País

    A Comissão Europeia quer proibir o tabaco em todos os espaços públicos, incluindo praias, parques infantis e equipamentos desportivos. A proposta foi apresentada pelo comissário da Saúde e Segurança Alimentar que, além de querer reduzir a dependência do tabaco, também sugere que todos os estados membros apliquem uma idade mínima para a venda de tabaco.

  • "Nós aceitamos sempre os resultados das eleições"
    1:07

    País

    Durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa, o líder dos sociais-democratas garantiu que o partido tem fair-play mas disse que está nas eleições autárquicas para ganhar. Pedro Passos Coelho acrescentou ainda que o PSD aceita sempre os resultados das eleições.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27
  • Data e local da canonização serão anunciados a 20 de abril
    2:23

    País

    O Papa aprovou esta quinta-feira o decreto que valida o milagre atribuído a Francisco e Jacinta. A data e local da cerimónia da canonização dos pastorinhos serão anunciados a 20 de abril, na reunião de cardeais no Vaticano. O Bispo de Leiria/Fátima acredita que a cerimónia possa ser a 13 de maio, durante a visita do Papa a Fátima.