sicnot

Perfil

Mundo

Pyongyang condena alegado espião norte-americano a 10 anos de trabalhos forçados

Kim Dong-chul, de 62 anos, foi detido em outubro e terá, de acordo com as autoridades norte-coreanas, confessado que trabalhava para os serviços secretos da Coreia do Sul. A confissão terá acontecido na presença de jornalistas.

© KCNA KCNA / Reuters

© KCNA KCNA / Reuters

© KCNA KCNA / Reuters

© KCNA KCNA / Reuters

© KCNA KCNA / Reuters

© KYODO Kyodo / Reuters

Já antes de ser conhecido este caso, Washington acusou Pyongyang de usar os seus cidadãos como armas secretas no confronto diplomático. A Coreia do Norte rejeitou a acusação.

Quando foi conhecida a detenção de Kim Dong-chul, o Departamento de Estado dos EUA recusou comentar publicamente este, ou qualquer outro caso de detenções de cidadãos norte-americanos, para não perturbar o processo de negociação que visava a libertação.

Agora, chega a notícia de que as autoridades norte-coreanas condenaram Kim Dong-chul por espionagem, obrigando-o a 10 anos de trabalhos forçados.

Kim Dong-chul, de 62 naos, nasceu na Coreia do Sul, mas obteve a cidadania norte-americana.

  • Vidas de fogo
    12:04

    Reportagem Especial

    Este ano durante o período mais crítico dos fogos, estão no terreno quase dez mil operacionais, a maioria bombeiros voluntários. A Reportagem Especial da SIC deste domingo "Vidas de fogo" dá a conhecer histórias de bombeiros que sobreviveram às chamas enquanto serviam o país.

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.