sicnot

Perfil

Mundo

Pyongyang condena alegado espião norte-americano a 10 anos de trabalhos forçados

Kim Dong-chul, de 62 anos, foi detido em outubro e terá, de acordo com as autoridades norte-coreanas, confessado que trabalhava para os serviços secretos da Coreia do Sul. A confissão terá acontecido na presença de jornalistas.

© KCNA KCNA / Reuters

© KCNA KCNA / Reuters

© KCNA KCNA / Reuters

© KCNA KCNA / Reuters

© KCNA KCNA / Reuters

© KYODO Kyodo / Reuters

Já antes de ser conhecido este caso, Washington acusou Pyongyang de usar os seus cidadãos como armas secretas no confronto diplomático. A Coreia do Norte rejeitou a acusação.

Quando foi conhecida a detenção de Kim Dong-chul, o Departamento de Estado dos EUA recusou comentar publicamente este, ou qualquer outro caso de detenções de cidadãos norte-americanos, para não perturbar o processo de negociação que visava a libertação.

Agora, chega a notícia de que as autoridades norte-coreanas condenaram Kim Dong-chul por espionagem, obrigando-o a 10 anos de trabalhos forçados.

Kim Dong-chul, de 62 naos, nasceu na Coreia do Sul, mas obteve a cidadania norte-americana.

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16

    Economia

    A Nokia chegou a ser uma das maiores empresas do mundo devido ao fabrico de telemóveis. Caiu, mas acaba de fazer renascer um dos sucessos de vendas do início do milénio. O anúncio foi feito este domingo, em Barcelona.