sicnot

Perfil

Mundo

Quase mil combatentes do Estado Islâmico mortos em ataques da Força Aérea Britânica

Perto de um milhar de combatentes do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) morreram na sequência de bombardeamentos da Força Aérea Real (RAF) britânica nos últimos 18 meses no Iraque e na Síria, informou hoje o Ministério da Defesa.

© Darren Staples / Reuters


Os ataques da RAF atingiram 974 presumíveis jihadistas no Iraque desde que começou a intervenção militar, em setembro de 2014, enquanto na Síria foram mortos 22 desde dezembro, no momento em que o Reino Unido integrou os ataques aéreos da coligação internacional nesse país.

O Ministério da Defesa britânico assegurou que não houve baixas civis nas operações, das quais resultaram 98 feridos, todos do grupo EI.

De acordo com a mesma fonte, a contagem baseia-se numa "análise posterior aos bombardeamentos", pois os aliados não podem aceder às zonas de combate para contabilizar os mortos no terreno.

Nos últimos meses, a RAF intensificou o seu combate ao terrorismo em ambos os países e atacou infraestruturas chave do EI, como campos petrolíferos, fábricas de armamento e posições de franco atiradores, indicou ainda o Ministério.

Lusa

  • Desmantelada célula do Daesh em Marrocos

    Daesh

    As autoridades marroquinas desmantelaram uma "célula terrorista" composta por três pessoas que recebeu instruções do Daesh para criar um núcleo 'jihadista' no norte de Marrocos, divulgou hoje o governo marroquino.

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41