sicnot

Perfil

Mundo

Dezoito detidos em Paris durante jornada marcada por violência

Dezoito pessoas foram detidas hoje em Paris, durante as manifestações do 1.º de Maio, realizadas num clima particularmente tenso, após dois meses de contestação contra uma reforma da lei do trabalho e muitos protestos marcados por violência.

© Philippe Wojazer / Reuters

O número de detidos foi adiantado pelo Ministério do Interior francês.

Várias dezenas de milhares de pessoas -- 84.000, segundo as autoridades -- desfilaram em toda a França, para exigir a retirada do projeto de lei que será analisado na Assembleia Nacional a partir de terça-feira.

Os cortejos decorreram hoje de manhã sem incidentes no resto do país, mas em Paris, onde se concentraram sob elevada vigilância policial, num desfile conjunto convocado pelos sindicatos pela primeira vez em sete anos, entre 16.000 manifestantes, segundo a polícia, e 70.000, de acordo com os sindicatos, os incidentes começaram logo após a partida do cortejo.

No leste da cidade, jovens encapuzados e com máscaras de esqui lançaram objetos sobre as forças de segurança, que ripostaram com granadas de gás lacrimogéneo.

Estes incidentes, envolvendo entre 200 e 300 jovens, repetiram-se a intervalos regulares durante toda a tarde, com vitrinas partidas e mobiliário urbano destruído.

Mantiveram-se, contudo, relativamente limitados, com milhares de manifestantes a desfilar de forma pacífica, repetindo palavras de ordem como "retirada, retirada da lei do trabalho", o que levou uma jornalista de televisão no local a referir-se a "uma manifestação com duas caras".

Pelas 19:00 (18:00 em Lisboa), havia distúrbios generalizados na grande Place de la Nation, invadida por nuvens de gás lacrimogéneo, enquanto as forças policiais eram alvo de objetos lançados por centenas de jovens contestatários de rosto coberto. Mas uma hora depois, o protesto dispersou-se.

Além de 18 detidos, um polícia e um manifestante sofreram ferimentos ligeiros em Paris, indicou o Ministério do Interior.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32