sicnot

Perfil

Mundo

Água em ebulição poderá estar na origem das estrias escuras na superfície de Marte

Os traços escuros observados em certos períodos na superfície de Marte poderão ser provocados por água que entra em ebulição devido à falta de pressão atmosférica naquele planeta, indicou um estudo hoje publicado na revista britânica Nature Geoscience.

© NASA NASA / Reuters

No passado, cientistas colocaram a hipótese de as estrias e sulcos observados em terrenos inclinados em diferentes locais de Marte, também conhecido como Planeta Vermelho, serem formados por fluxos de salmoura, uma solução aquosa saturada em sal que só pode ser formada com a presença de água.

Em setembro último, a agência espacial norte-americana NASA anunciou ter descoberto água em estado líquido em algumas zonas da superfície de Marte.

De acordo com os dados hoje publicados, uma equipa de investigadores franceses, britânicos e norte-americanos, liderada por Marion Massé, investigadora da Universidade de Nantes (França), realizou uma série de experiências numa câmara hiperbárica, onde simulou a pressão atmosférica de Marte e as temperaturas de verão verificadas na superfície terrestre.

Os investigadores colocaram um bloco de gelo numa superfície com uma inclinação de 30 graus e de areia solta. Nas condições terrestres, a água infiltrou-se gradualmente na areia, sem modificar a sua composição.

Mas, nas condições atmosféricas de Marte o resultado foi diferente. A água gelada entrou imediatamente em ebulição e o vapor libertado provocou a projeção de grãos de areia, que posteriormente formaram uma espécie de canais.

"Os fenómenos observados (...) nestas experiências são notavelmente similares aos traços observados em Marte", precisou Wouter Marra, da Unversidade holandesa de Utrecht, que comentou este novo estudo.

O planeta Marte tem uma pressão atmosférica mais baixa que a Terra e por isso a água em estado líquido não é estável, podendo congelar ou entrar em ebulição com grande rapidez.

Na superfície do Planeta Vermelho, a água pode entrar em ebulição a partir dos zero graus Celsius. Sob a pressão atmosférica normal na Terra, ao nível do mar, a água ferve aos 100 graus Celsius.

Lusa

  • Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta pelo olhar de uma portuguesa
    3:20

    Mundo

    A guerra do Congo, que opõe milícias rebeldes ao regime de Kabila, já dura há 20 anos e fez seis milhões de mortos, quatro milhões de deslocados internos e um número crescente de refugiados. Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta tem levado milhares de civis a passar a fronteira para Angola. A médica portuguesa Ana Paula Cruz testemunhou o drama silencioso dos congoleses nos campos de refugiados da Lunda Norte.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05