sicnot

Perfil

Mundo

Corpo de alpinista encontrado 16 anos depois de avalancha

Foram encontrados num glaciar do Tibete os corpos de Alex Lowe, considerado o alpinista mais conhecido nos anos 90, e do operador de câmara David Bridges, 16 anos depois de terem ficado soterrados numa avalancha nos Himalaias.

alexlowe.org

Lowe, de 40 anos, e Bridges, de 29, participavam numa expedição para um documentário da NBC Sports no dia 5 de outubro de 1999, quando ficaram soterrados sob uma avalancha na montanha Shishapangna - a 14ª mais alta do mundo.

A semana passada, os dois cadáveres terão sido encontrados pelos alpinistas David Gottler e Ueli Steck.

Gottler descreveu as roupas encontradas, bem como os dois corpos, a Conrad Anker - um alpinista que participava na expedição de Lowe, mas que sobreviveu ao acidente.

Anker acabou por casar com a viúva de Lowe, Jenni, e adotou os seus 3 filhos. A descoberta, declarou, "traz um fim e também alívio para mim, para Jenni e para a nossa família".

O casal criou em 1999 a Fundação Alex Lowe, em memória do alpinista.

  • Os apelos de Marcelo para a reforma do Estado
    1:36

    País

    O Presidente da República lamentou este sábado que o consenso para uma reforma do Estado seja um sonho adiado. No enceramento do congresso "Portugal no Futuro", Marcelo Rebelo de Sousa apelou a entendimentos em áreas estratégicas e defendeu que é preciso passar as palavras à ação, o quanto antes.

    Débora Henriques

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52