sicnot

Perfil

Mundo

Greenpeace divulga documentos confidenciais

A Greenpeace vai divulgar hoje documentos sobre negociações entre a União Europeia e os Estados Unidos acerca do Acordo de Livre Comércio e Investimento (TTIP) que revelam a "intenção deliberada de mudar o processo legislativo e democrático da União".

© Kai Pfaffenbach / Reuters

A Greenpeace Holanda obteve os documentos confidenciais e vai publicá-los de forma a proporcionar "a tão necessária transparência" sobre as negociações e "incentivar um debate informado" sobre o tratado, indicou a organização em comunicado.

A organização ecologista assinala que os documentos confirmam "importantes riscos para o clima, o meio ambiente e a proteção do consumidor".

As proteções do meio ambiente de longa tradição na União Europeia parecem ter desaparecido nas negociações, segundo a Greenpeace.

Em "nenhum dos capítulos [...] se faz a referência à regra de exceção geral incluída no Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio da Organização Mundial do Comércio, que permite aos países regular o comércio para proteger a vida e a saúde se seres humanos, animais e plantas" ou "para a conservação dos recursos naturais", refere a Greenpeace.

Para a organização, a omissão desta regra "sugere que ambas as partes criam um regime que coloca o lucro à frente da vida e da saúde dos seres humanos, animais e plantas".

Em relação ao clima, a Greenpeace garante que a proteção do meio ambiente será mais difícil com o TTIP, dado que "não se pode encontrar nada que aponte a proteção do clima" nos documentos, nem tão pouco uma referência ao acordo COP21 de Paris.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.