sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortos na queda de prédio no Quénia sobe para 21

Pelo menos 21 pessoas morreram no desmoronamento de um edifício na sexta-feira à noite num bairro pobre da capital do Quénia, Nairobi, segundo um novo balanço oficial divulgado hoje.

© Thomas Mukoya / Reuters

"Neste momento existem 21 mortos: quatro novos cadáveres foram recuperados durante a noite e uma pessoa no hospital não resistiu aos ferimentos", declarou à imprensa o responsável pela unidade governamental de gestão de catástrofes, Pius Masai.

O anterior balanço oficial divulgado no domingo dava conta de 16 mortos.

A Cruz Vermelha queniana disse que mais de 60 pessoas continuam desaparecidas.

O edifício, situado no bairro de Huruma (nordeste de Nairobi), desmoronou-se devido às chuvas torrenciais e à má qualidade da construção. Com dois anos e construído perto de um rio, o prédio foi alvo de uma ordem de demolição que não foi respeitada nem aplicada pelas autoridades.

O proprietário do edifício entregou-se no domingo à polícia e deverá comparecer a tribunal na terça-feira, continuando as autoridades a procurar o arquiteto e os engenheiros envolvidos na construção do prédio.

No total, pelo menos 28 pessoas morreram em Nairobi desde sexta-feira devido às fortes chuvadas, as mais violentas desde o início da estação das chuvas.

Além das 21 vítimas mortais do desmoronamento, sete outras pessoas morreram afogadas ou devido à queda de um muro.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".