sicnot

Perfil

Mundo

Seul alerta para perigo de sequestro dos seus cidadãos pela Coreia do Norte

A Coreia do Sul alertou hoje para o risco de os seus cidadãos serem sequestrados por Pyongyang, em retaliação contra a fuga de uma dúzia de funcionários de um restaurante norte-coreano na China.

© KCNA KCNA / Reuters

Doze mulheres que trabalhavam num restaurante na cidade chinesa de Ningbo desertaram, juntamente com o gerente, para a Coreia do Sul no mês passado.

Seul garante que as mulheres foram voluntariamente, enquanto Pyongyang insiste que foram enganadas e convencidas a desertar por espiões sul-coreanos que efetivamente as "sequestraram".

O Ministério da Unificação de Seul, que gere as relações intercoreanas, informou que as missões no estrangeiro têm sido aconselhadas a reforçar a vigilância.

"Estamos atentos a múltiplas possibilidades, incluindo sequestros ou terrorismo (...) pelo Norte", disse o porta-voz do ministério, Jeong Joon-Hee.

"Estamos a tentar garantir a segurança dos nossos cidadãos", disse aos jornalistas.

O jornal Hankook Ilbo escreve hoje que Pyongyang está a planear sequestrar sul-coreanos para trocar pelos 13 desertores.

"Estabelecem o objetivo de 120 pessoas, incluindo expatriados, soldados e dirigentes", escreve o jornal, citando uma fonte oficial próxima dos assuntos norte-coreanos.

Quase 30 mil norte-coreanos fugiram da pobreza e repressão, ao longo de décadas, e estabeleceram-se na Coreia do Sul.

No entanto, as fugas coletivas são raras, especialmente de funcionários de restaurantes no estrangeiro, que são habitualmente escolhidos de famílias consideradas leais ao regime.

A Coreia do Norte tem um historial de sequestros. O caso mais mediático aconteceu em 1978, durante o mandato do já falecido Kim Jong-Il, que mandou sequestrar, em Hong Kong, um realizador de cinema sul-coreano e a sua mulher. O casal conseguiu fugir em 1986.

Em 2002, a Coreia do Norte admitiu ter sequestrado 13 japoneses nos anos 1970 e 1980 para formarem os seus espiões em língua e cultura japonesas.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.