sicnot

Perfil

Mundo

Suspeito de 11 mortes em Cabo Verde mostra-se arrependido

O soldado suspeito da morte de 11 pessoas num destacamento militar em Cabo Verde confessou o crime e mostra-se arrependido, disse hoje o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de Cabo Verde demissionário, Alberto Barbosa Fernandes.

ANTÓNIO GOMES/LUSA

"Este caso do Monte Txota foi um caso isolado e um ato irrefletido de um jovem soldado que neste momento está arrependido", disse Alberto Barbosa Fernandes, que sexta-feira se demitiu do cargo de Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas (CEMFA) de Cabo Verde.

"Mostra-se arrependido e disse que se fosse hoje, tanto não faria. Não cometia tal ato", acrescentou, confirmando que o suspeito, que foi detido na quarta-feira, alegou como motivos do crime uma discussão com um colega seguida de luta em que ele saiu derrotado.

"Os soldados, como se sabe num ambiente do tipo, gozam com as pessoas e ele sentiu-se humilhado e ameaçou matá-los, mas ninguém acreditou", disse.

O CEMFA disse ainda que o suspeito já explicou como conseguiu matar os oito colegas.

"Os soldados estavam nas respetivas camas e todos deitados. Explicou como assassinou os colegas", disse Alberto Barbosa Fernandes, adiantando que a investigação prossegue e que o suspeito "é a única testemunha" que há no momento.

Alberto Barbosa Fernandes, que à altura das mortes - na noite de 25 de abril - no destacamento militar de Monte Txota se encontrava em viagem a Moçambique, explicou hoje pela primeira vez publicamente os motivos da sua demissão.

As mortes de oito soldados e três civis, incluindo dois cidadãos espanhóis, de que é suspeito o soldado do mesmo destacamento Manuel António Silva Ribeiro, 22 anos, só foram conhecidas a meio da tarde de dia 26 de abril, quando um funcionário da CV Telecom deu o alerta de que o posto estava sem militares.

Manuel António Silva Ribeiro, 22 anos, que está a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional Militar, na cidade da Praia, será julgado em Tribunal Militar, que segundo o CEMFA demissionário não funciona desde novembro de 2015.

"O Tribunal terminou as suas funções no passado mês de novembro de 2015 e foi feita nova proposta de nomeação dos membros do Tribunal Militar de Instância", o que não aconteceu até ao momento, segundo Alberto Barbosa Fernandes.

Lusa

  • "Tudo o que se está a passar no Sporting tem um único responsável: Bruno de Carvalho"
    7:08
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.