sicnot

Perfil

Mundo

Classe executiva gera fúria a bordo, conclui estudo

A divisão por "classes" nos aviões pode desencadear reações perigosas nos passageiros e aumentar a probabilidade de incidentes a bordo, na classe económica. É o que sugere um estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

REUTERS

O estudo incluiu dados de uma grande transportadora aéra internacional, ao longo de vários anos e milhares de voos.

Apesar dos incidentes comportamentais a bordo serem raros, explica uma das autoras do estudo, há alguns padrões que foram registados. Segundo os autores da investigação, a existência de executiva é um fator bastante mais importante para o sentimento de raiva do que outros, como o espaço entre assentos, os atrasos ou a limpeza do avião.

O estudo sugere às companhias algumas medidas para esbater os sentimentos de diferença entre as classes executiva e turística, entre elas, por exemplo, não deixar que os passageiros estejam na fila das casas de banho se as da executiva estiverem vazias.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.