sicnot

Perfil

Mundo

John Kerry adverte Assad para respeitar cessar-fogo

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, advertiu hoje o Presidente sírio, Bashar al-Assad, que haverá "repercussões" se o seu regime não respeitar o novo cessar-fogo que está a ser negociado entre Washington e Moscovo.

© Joshua Roberts / Reuters

"Se Assad não aceitar haverá certamente repercussões e uma delas pode ser a destruição total do cessar-fogo e o regresso à guerra na Síria", afirmou Kerry, falando aos jornalistas em Washington.

"Não creio que a Rússia queira isso e não creio que Assad possa beneficiar disso", acrescentou o chefe da diplomacia norte-americana, que regressou de Genebra, onde tentou na segunda-feira salvar o cessar-fogo declarado a 27 de fevereiro.

Kerry afirmou que as equipas que estão a negociar a transição na Síria esperam conseguir resultados "nas próximas horas" para "restaurar" o cessar-fogo em todo o país e em particular em Alepo e o acesso total de ajuda humanitária a civis.

Há mais de uma semana que Alepo, a maior cidade do norte da Síria, tem sido cenário de uma vaga de violência que já fez 279 mortos em bombardeamentos aéreos e disparos de artilharia.

"Atualmente estamos a trabalhar a sério para tentar repor o cessar-fogo para proteger a integridade de Alepo", acrescentou Kerry.

Moscovo declarou também esperar um cessar-fogo "nas próximas horas" em Alepo, onde os combates de hoje fizeram 19 mortos, atingindo de novo instalações médicas.

"Não há nenhuma justificação para ataques a civis ou a instalações médicas", disse Kerry depois de ter condenado o ataque que atingiu de novo este tipo de instalações, o sexto na cidade em menos de uma semana, segundo o Comité Internacional da Cruz Vermelha.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão