sicnot

Perfil

Mundo

Rei de Espanha assina decreto que marca eleições para 26 de junho

O Rei Felipe VI de Espanha assinou hoje o decreto de dissolução do Parlamento e que marca as eleições para 26 de junho, estabelecendo que o próximo Congresso de Deputados será constituído a 19 de julho.

Felipe VI, Rei de Espanha.

Felipe VI, Rei de Espanha.

© POOL New / Reuters

Esta é a primeira vez que o chefe de Estado espanhol marca eleições, por impedimento de Mariano Rajoy (Partido Popular, PP), chefe do Governo em funções.

É também a primeira vez em que os espanhóis são chamados novamente a votar, depois de as forças políticas não terem chegado a acordo na escolha do novo primeiro-ministro.

O papel do rei está definido no artigo 99.5 da Constituição, que diz textualmente: "Se terminado o prazo de dois meses, a partir da primeira votação de investidura, nenhum candidato tiver obtido a confiança do Congresso, o rei dissolverá as duas câmaras e marcará novas eleições com o acordo do presidente do Congresso".

O presidente do Congresso, Patxi López, assinou também esta manhã o decreto, no palácio da Zarzuela.

Esta é a oitava reunião de López com o chefe de Estado espanhol, desde que foi nomeado presidente da Câmara Baixa para cumprir os diversos trâmites relacionados com o início da legislatura, que acaba de terminar, e as três rondas de consultas políticas do rei para encontrar um candidato a primeiro-ministro.

As fotografias oficiais difundidas pelo palácio real confirmam que o documento foi assinado às 09:37 locais (08:37 em Lisboa). Após a assinatura, Patxi López seguiu para o parlamento, onde dará uma conferência de imprensa.

Além da data das eleições, o decreto estabelece o número de lugares por círculo eleitoral. Valência (nordeste) passa de 15 para 16 deputados e León (noroeste) de cinco para quatro, devido a alterações no censo da população.

A partir de hoje, e depois de publicado no boletim oficial o decreto de marcação das eleições, é possível pedir para votar por correspondência. Os partidos terão até 13 de maio para comunicar candidaturas em coligação, sendo 23 de maio o último dia para apresentar candidaturas.

De acordo com os prazos legais, que começam a partir de hoje, a campanha eleitoral começa às 00:00 de 10 de junho e termina a 24, seguindo-se a 25 de junho o dia de reflexão e as eleições a 26.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.

  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.