sicnot

Perfil

Mundo

Último preso dos protestos em Tiananmen será libertado em outubro

O último preso relacionado com os protestos pró-democracia na praça de Tiananmen, em 1989, será libertado em outubro deste ano, depois de as autoridades chinesas terem reduzido a pena aplicada em onze meses, divulgou hoje uma organização sediada nos Estados Unidos.

© Str Old / Reuters

Num comunicado, a organização Dui Hua, que defende os direitos dos presos na China, confirmou que Miao Deshun, de 51 anos, será libertado da prisão de Yanqing, em Pequim, a 15 de outubro, após mais de 27 anos na prisão.

"Recebemos esta notícia com alegria e esperamos que [Miao] receba os cuidados que necessita para voltar à sua vida normal, depois de ter passado mais de metade desta atrás das grades", frisou a organização.

Em 1989, Miao Deshun, um operário fabril, foi detido com outros quatro amigos na noite de 04 de junho, pouco depois de o exército chinês ter irrompido com tanques nas ruas de Pequim e de ter acabado, com recurso à força, com quase sete semanas de protestos pró-democracia.

A detenção aconteceu depois de "centenas ou milhares", segundo algumas fontes, de estudantes e de trabalhadores em greve terem morrido no massacre de Tiananmen, onde protestavam a favor de reformas democráticas no regime e contra a corrupção.

Após participar de confrontos com o exército, o jovem foi acusado de "fogo posto", por ter alegadamente arremessado um contentor contra um blindado em chamas.

Com base nesta acusação, o regime chinês condenou Miao Deshun à pena de morte, mais tarde comutada em prisão perpétua.

Desde então, os tribunais reduziram a pena por três ocasiões.

Na altura, muitos acusados foram condenados à pena capital ou à prisão perpétua, mas as autoridades chinesas acabaram por substituir algumas destas sentenças com penas menores.

Ao longo dos anos, milhares de presos acabaram por ser libertados, de acordo com os dados das organizações de defesa dos direitos humanos.

No conjunto, menos de 100 pessoas acabaram por ser executadas, segundo diversas fontes.

O estado de saúde de Miao pode ser uma das razões que motivou a redução da pena.

Segundo a Dui Hua, o homem terá contraído Hepatite B na prisão e sofre agora de esquizofrenia.

Lusa

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • Campanha eleitoral em Angola chega hoje ao fim

    Mundo

    Os candidatos às eleições gerais angolanas de quarta-feira terminam hoje um mês de campanha, com milhares de quilómetros percorridos, uma breve aparição de José Eduardo dos Santos e as possíveis coligações em destaque.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.