sicnot

Perfil

Mundo

Enviado da ONU alerta para desfecho "catastrófico" em Alepo

O enviado da ONU para a Síria apelou hoje ao fim dos combates em Alepo, a segunda cidade do país, e alertou para um desfecho "catastrófico" caso não sejam interrompidos os confrontos.

© Abdalrhman Ismail / Reuters

"A alternativa é verdadeiramente catastrófica, porque poderemos assistir à deslocação de 400.000 pessoas em direção à fronteira com a Turquia", referiu Staffan de Mistura após conservações em Berlim com os ministros dos Negócios Estrangeiros da França e Alemanha.

As conversações de Berlim, que também incluíram o principal líder da oposição, Riad Hijab, incluem-se numa semana de intensa atividade diplomática, e quando os negociadores tentam preservar uma trégua à beira do colapso.

De Mistura sublinhou que o recomeço das conversações de paz permanece dependente do cessar-fogo.

"Agora, o teste é Alepo", disse.

O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Frank-Walter Steinmeier, e o seu homólogo francês, Jean-Marc Ayrault, também emitiram alertas no mesmo sentido.

"Se não for garantido um cessar-fogo nas próximas horas em Alepo, tudo pode entrar em colapso", referiu Ayrault.

"Todas as esperanças que colocámos no processo de paz desapareceriam, mesmo que seja uma necessidade para os sírios e todos os refugiados que pretendem regressar para viver no seu país", acrescentou.

A guerra na Síria fez já mais de 270 mil mortos desde 2011, de acordo com a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Lusa

  • PSD e CDS têm caminhos diferentes
    1:22

    País

    Assunção Cristas já respondeu a Pedro Passos Coelho, depois de o líder do PSD ter recusado apoiar a candidatura da líder do CDS à Câmara de Lisboa. Cristas diz que os dois partidos têm caminhos diferentes. O PSD continua sem apresentar candidato. Contudo, Marques Mendes revelou que Passos Coelho convidou José Eduardo Moniz a candidatar-se à Câmara de Lisboa.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.