sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas descrevem buraco negro com 660 milhões de vezes a massa do Sol

Uma equipa internacional de cientistas descreve hoje um buraco negro que tem 660 milhões de vezes a massa do Sol e uma nuvem de gás que o circunda a 1,7 milhões de quilómetros por hora.

Ilustração do buraco negro com uma massa 12 mil milhões de vezes maior que a do Sol.

Ilustração do buraco negro com uma massa 12 mil milhões de vezes maior que a do Sol.

© NASA / Reuters

Liderados por Aaron J. Barth, da Universidade da Califórnia, os cientistas estudaram o buraco negro, que se encontra no centro de uma galáxia chamada NGC1332, a 73 milhões de anos-luz da Terra, com recurso ao Grande Conjunto Milimétrico/Submilimétrico de Atacama (ALMA, na sigla em inglês), o maior projeto astronómico do mundo.

O ALMA, um telescópio com 66 antenas localizado a cerca de 5.000 metros de altitude no Chile, permitiu aos cientistas medirem o buraco negro com uma precisão sem precedentes, pode ler-se num comunicado sobre o artigo, publicado hoje na revista Astrophysical Journal Letters.

Os buracos negros, os mais massivos dos quais estão normalmente nos centros das galáxias, são tão densos que a sua gravidade atrai tudo o que se encontre próximo, incluindo a luz, explicou Andrew J. Baker, da Universidade Rutgers, em Nova Jérsia, citado no comunicado.

Um buraco negro forma-se quando a matéria, muitas vezes após a explosão de uma estrela, se condensa pelo efeito da gravidade.

Os buracos negros supermassivos no centro de galáxias massivas brilham ao engolir gás, estrelas e outros buracos negros.

No entanto, explicou Baker, "só porque existe um buraco negro na vizinhança, não significa que funcione como um aspirador cósmico".

As estrelas podem aproximar-se de um buraco negro sem serem engolidas, desde que se mantenham em órbitas estáveis e se movam suficientemente depressa, acrescentou o investigador.

Os cientistas acreditam que todas as galáxias massivas têm um buraco negro a massivo no centro. "A ubiquidade dos buracos negros é um indicador da profunda influência que têm na formação das galáxias em que vivem", disse Baker.

Compreender a formação e evolução das galáxias é um dos maiores desafios da astrofísica moderna e para entender como as galáxias se formam e evoluem, é preciso entender os buracos negros, pois os crescimentos das galáxias e dos seus buracos negros estão coordenados, afirmou.

Para compreender os buracos negros, é importante medir a sua massa exata, o que permite aos cientistas saber se o buraco negro está a crescer mais ou menos depressa do que a sua galáxia.

Para medir o buraco negro no centro da NGC 1332, os cientistas utilizaram as observações de alta resolução captadas pelo ALMA de um disco gigante de monóxido de carbono que orbita o buraco e mediram também a sua velocidade.

"Este é um caso em que os novos instrumentos nos permitiram concretizar um avanço importante em termos do que podemos dizer cientificamente", disse Baker, sublinhando que a caracterização da massa dos buracos negros tem sido uma área de investigação muito ativa nos últimos 20 anos.

Os autores do estudo já apresentaram uma proposta para usar o ALMA para observar outros buracos negros.

Lusa

  • Atirador canadiano mata combatente do Daesh a 3,5km de distância

    Mundo

    Um atirador das Forças Especiais do Canadá matou um combatente do Daesh com um tiro disparado a 3,5 quilómetros de distância, no passado mês de maio, no Iraque. O Comando de Operações Especiais canadiano garantiu à BBC que a distância do disparo, realizado com sucesso, é já considerada um recorde na história militar.

  • Revelada a verdadeira identidade de Banksy?

    Cultura

    O músico e produtor Goldie pode ter revelado a identidade do artista mais conhecido por Banksy, durante uma entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip. Goldie referiu Robert Del Naja de forma acidental e os fãs acreditam que a identidade do artista britânico foi finalmente desvendada.

  • "Mãe, por favor, para de dizer asneiras. Não quero que leves um tiro"
    0:51

    Mundo

    O Departamento de Investigação da Polícia do Minnesota divulgou esta sexta-feira um vídeo com imagens de um incidente que levou à morte de um afro-americano pela polícia, nos Estados Unidos da América. Em julho de 2016 um polícia atingiu mortalmente Philando Castile, de 32 anos, durante uma operação de controlo rodoviário. O homem procurava os documentos de identificação quando o polícia disparou quatro tiros. Nas imagens é possível ver o desespero da filha da companheira de Philiando Castile, minutos depois de ter visto o padrasto a morrer. O agente responsável pela morte de Castile foi absolvido pelo Tribunal na semana passada.

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43

    Mundo

    Um vídeo de um acidente numa autoestrada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA), está a tornar-se viral nas redes sociais. Nas imagens é possível ver um motociclista a dar um pontapé num carro que seguia à sua frente. Como forma de "retribuição", o carro vira na direção da mota mas bate no separador e depois numa carrinha que acabou por capotar. Segundo a imprensa norte-americana o condutor da carrinha foi levado para o hospital com ferimentos ligeiros. Já a pessoa que conduzia a mota seguiu o seu caminho.