sicnot

Perfil

Mundo

Mercúrio vai passar na segunda-feira diante do Sol, um fenómemo raro

Mercúrio vai passar na segunda-feira diante do Sol, um fenómeno raro visível em Portugal, através de telescópios com filtros solares, se o estado do tempo ajudar.

Reprodução das cores de Mercúrio utilizando as várias imagens captadas pela sonda MESSENGER / NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Carnegie Institution of Washington

Reprodução das cores de Mercúrio utilizando as várias imagens captadas pela sonda MESSENGER / NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Carnegie Institution of Washington

O trânsito de Mercúrio, o planeta do Sistema Solar mais próximo do 'astro-rei', durará mais de sete horas: começa pelas 12:12 (hora de Lisboa), atinge o ponto máximo às 15:56 e termina pelas 19:41, de acordo com a página na internet do Observatório Astronómico de Lisboa.

O planeta, que, aos olhos de quem o observa, surgirá como um pequeno círculo escuro, move-se lentamente ao atravessar o disco solar. Chama-se trânsito, porque Mercúrio passa entre o Sol e a Terra.

O fenómeno acontece, na sua plenitude, na Europa Ocidental, no leste da América do Norte, no norte da América do Sul, no Ártico, na Gronelândia, no extremo noroeste de África e no Oceano Atlântico.

Em Lisboa e no Porto, se a meteorologia o permitir, já que estão previstos aguaceiros, pode ser observado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, onde um dos telescópios tem capacidade para mostrar as protuberâncias (jatos de gás quente) do Sol, no Planetário Calouste Gulbenkian e no Planetário do Porto, onde investigadores vão falar sobre os trânsitos planetários.

O Centro Ciência Viva de Constância também organiza uma sessão de observação.

Para que o trânsito de Mercúrio ocorra, o planeta tem de, além de estar entre o Sol e a Terra, cruzar o plano orbital da Terra, o chamado plano da elíptica, explicou à Lusa o astrofísico Pedro Machado.

O investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço esclareceu que a raridade do fenómeno se deve ao facto de ocorrer 13 vezes por século, em maio ou em novembro, em intervalos de tempo que podem ser de três anos e meio, sete anos, nove anos e meio, dez anos ou 13 anos.

Os trânsitos de novembro são duas vezes mais prováveis do que os de maio, adiantou.

Na segunda-feira, como em todos os trânsitos de maio, Mercúrio parece ser 150 vezes mais pequeno do que o Sol. No caso dos de novembro, o tamanho do planeta parece ser 200 vezes menor do que o Sol.

Segundo Pedro Machado, as variações no tamanho aparente de Mercúrio devem-se "à grande excentricidade (alongamento da elipse) da órbita" do planeta.

Anteriormente, o mais recente trânsito de Mercúrio observável em Portugal foi a 07 de maio de 2003 (houve um outro posterior, a 08 de novembro de 2006, mas não pôde ser visto no país, dada a hora a que ocorreu, já era noite).

O próximo, depois do de segunda-feira, será a 11 de novembro de 2019, indicou o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

Por orbitar muito próximo a sua estrela, Mercúrio é difícil de observar. O planeta, em termos de tamanho, situa-se entre a Terra e a Lua, é composto sobretudo por ferro e tem uma atmosfera extremamente fina, formada por hélio, oxigénio, hidrogénio, mas também por sódio e potássio.

Apesar da sua proximidade com o Sol, Mercúrio não é o planeta mais quente (é Vénus), mas tem a maior variação de temperatura, entre -180ºC e +450ºC. Orbita o Sol em 87,97 dias e as suas crateras fazem lembrar as da Lua.

À semelhança de Mercúrio, também Vénus pode passar entre a Terra e o Sol, o que acontece duas vezes em cada cem anos.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.