sicnot

Perfil

Mundo

ONU diz que ação contra alterações climáticas tem de ser mais rápida

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas disse hoje que a ação contra as alterações climáticas tem de ser mais rápida e alargada para concretizar as promessas do acordo de Paris de combate aos efeitos do aquecimento global.

© Denis Balibouse / Reuters

"É o tempo de levar a ação sobre o clima ao próximo nível", afirmou Ban Ki-moon, durante uma reunião em Washington que juntou os autarcas de Mova Iorque e Paris, o ex-vice-presidente dos EUA Al Gore, líderes empresariais e congressistas norte-americanos.

"Precisamos de acelerar a velocidade, a dimensão e a escala da nossa resposta, local e globalmente", acentuou.

O encontro, designado Climate Action 2016, acontece duas semanas depois de 175 países terem assinado nas Nações Unidas o acordo de Paris, aumentando as esperanças de que o texto seja ratificado rapidamente.

Para entrar em vigor, o acordo de Paris precisa de ser ratificado por pelo menos 55 Estados que representem 55% das emissões mundiais de gases com efeito de estufa.

"Não podemos permitir que se perca o balanço, porque cada dia que passa o desafio climático aumenta", insistiu o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim.

"Parece que sempre que olhamos para o problema, é pior do que pensávamos", acrescentou, mencionando as temperaturas recordes que se têm registado, as quais "se tornaram a nova normalidade".

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47