sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos sete mortos e 490 feridos no centro da Índia durante celebração hindu

Pelo menos sete pessoas morreram e 40 ficaram feridas hoje durante a festividade hindu Kumbh Mela em Ujjain, centro da Índia, após o derrube de um toldo pelo vento e chuva fortes que atingiram a região, disse fonte policial.

© Jitendra Prakash / Reuters

"Morreram sete pessoas e há 40 feridos", disse à agência noticiosa Efe o inspetor-geral da polícia de Ujjain, V. Madhu Kumar, sem adiantar mais detalhes sobre o derrube do toldo instalado para a oração dos peregrinos.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, através de uma mensagem na rede social Twitter, manifestou-se "angustiado pela perda de vidas devido às fortes chuvas" e exprimiu as suas condolências às famílias e o desejo de rápida recuperação para os feridos.

"Rogo pela segurança e bem-estar de todos os santos, peregrinos e turistas", acrescentou Modi.

A Kumbh Mela é considerada a maior peregrinação do mundo, onde os fiéis se banham em rios sagrados para purificar os seus pecados, e a organização espera uma afluência de 50 milhões de devotos entre abril e maio em Ujjain, onde se celebra este ano o festival rotativo.

A maior concentração é registada em cada 12 anos no rio Ganges perto de Allahabad (norte). Na edição de 2013 compareceram cerca de 100 milhões de pessoas.

Os acidentes são frequentes no decurso das celebrações religiosas na Índia, pelas deficiências da organização e a precaridade das infraestruturas.

No mês passado, 110 pessoas morreram e 500 ficaram feridas num incêndio motivado pela explosão de material pirotécnico num tempo hindu do estado de Kerala (sul), que motivou a detenção de diversos responsáveis da organização.

Lusa

  • "É abusivo falar de fuga ao fisco"
    4:10

    Economia

    Dez mil milhões de euros é o valor de que se fala das transferências para contas offshore, que terão escapado à Autoridade Tributária. O número impressiona, mas é preciso notar que este dinheiro é capital que sai do país e o capital não está sujeito ao pagamento de imposto só porque sai do país. O fiscalista Tiago Caiado Guerreiro esteve no Jornal da Noite para dar mais explicações sobre o caso.