sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia Internacional considera "preocupante" a situação de Luaty Beirão

O diretor executivo da seção portuguesa da Amnistia Internacional disse hoje que a organização não-governamental admite fazer uma nova ação pelos presos de consciência angolanos tendo em vista a atual situação de Luaty Beirão que considera "preocupante".

Luaty Beirão

Luaty Beirão

"Os últimos acontecimentos que temos vindo a acompanhar através de vários relatos são preocupantes. Luaty Beirão está em greve de fome, de nudez e de silêncio. Uma das fontes é a própria irmã", disse à Lusa, Pedro Neto, diretor executivo da secção portuguesa da Amnistia Internacional (AI).

O ativista luso-angolano Luaty Beirão está em greve de fome, de silêncio e de nudez, desde quinta-feira, como forma de protesto contra a transferência do local de detenção.

Dos 17 ativistas condenados no processo por atos preparatórios para uma rebelião e associação de malfeitores - e a cumprirem pena - 12 foram concentrados nos últimos dias no Hospital-Prisão de São Paulo, em Luanda.

"Para nós é preocupante porque é uma situação que se arrasta indefinidamente e poderia ter uma solução fácil: a liberdade. Consideramos que são prisioneiros de consciência. Não fizeram mal a ninguém e, portanto, todo este processo tem sido uma afronta à justiça", sublinha o responsável pela organização não-governamental.

Pedro Neto recorda que a Amnistia Internacional condena "desde o início" (junho de 2015) a prisão e julgamento dos ativistas em Luanda que classifica como "farsa".

"Nós temos uma campanha a decorrer pela libertação imediata destes ativistas. Fizemos bastantes ações nos últimos tempos e ponderaremos outra ação para que este assunto não caia no esquecimento e que estas pessoas possam ter acesso à liberdade a que têm direito", indicou ainda o diretor executivo da Amnistia Internacional em Portugal.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.