sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte reafirma poder nuclear em dia de Congresso do Partido

A Coreia do Norte afirmou hoje que reforçará a sua capacidade de dissuasão nuclear se os Estados Unidos mantiverem uma postura hostil, no dia em que o Partido dos Trabalhadores inicia o seu primeiro congresso em 36 anos.

FRANCK ROBICHON

O regime de Kim Jong-un acusou o Governo de Barack Obama de ter criado motivos para desencadear uma crise nuclear na península coreana, segundo um comunicado emitido pelo Comité para a Reunificação Pacífica da Coreia, o ministério encarregado das relações com a Coreia do Sul.

Este organismo reivindicou o estatuto de Pyongyang como potência atómica por ter desenvolvido com êxito uma bomba de hidrogénio, algo que especialistas estrangeiros duvidam que seja verdade.

O comunicado em que Pyongyang reafirma o seu poder nuclear surge horas antes do início do VII Congresso do Partido dos Trabalhadores, que não se realizava desde 1980.

O primeiro congresso em 36 anos do partido único da Coreia do Norte reúne na capital milhares de delegados, que formam, pelo menos em teoria, o principal órgão de decisão do país.

Kim, de 33 anos, que não era nascido quando decorreu o último congresso, deverá fazer um discurso que será minuciosamente escrutinado de modo a serem detetadas alterações políticas ou mudanças nos quadros da elite governamental.

Apesar de a agenda, e até mesmo a duração, do congresso ainda ser desconhecida, o seu principal objetivo é confirmar o estatuto de Kim Jong-un como herdeiro legítimo da dinastia Kim, no poder há quase sete décadas.

No congresso deve também ser confirmada como doutrina a política "byungjin" de Kim, de desenvolvimento de armas nucleares, juntamente com o desenvolvimento económico.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.