sicnot

Perfil

Mundo

Paquistanesa de 16 anos morta em nome da "honra"

Uma paquistanesa de 16 anos foi estrangulada, injetada com veneno, amarrada a uma carrinha e depois queimada. Tudo por uma questão de honra.

Membros do conselho tribal vendados a caminho do julgamento, a 5 de maio.

Membros do conselho tribal vendados a caminho do julgamento, a 5 de maio.

© Stringer . / Reuters

Catorze pessoas foram detidas, incluindo a mãe de Ambreen, em Abbottabad, norte do Paquistão, depois do corpo carbonizado da rapariga ter sido descoberto na passada sexta-feira.

A polícia diz que a morte por "crime de honra" foi ordenada por um conselho tribal, depois de Ambreen ter, alegadamente, ajudado uma amiga e o namorado a fugir.

"A ordem foi dada depois da vizinha de Ambreen, Saima, ter fugido com o namorado a 22 de abril", disse à CNN o agente da polícia Khurram Rasheed. Os 15 membros do conselho tribal - jirga - reuniram-se para investigar a fuga e alguns tomaram parte no assassínio, afirmou o agente.

A mãe de Ambreen foi detida com 13 membros da jirga por ter sabido da ordem para matar mas não ter alertado as autoridades.

O crime de honra é ilegal no Paquistão, mas cerca de 1100 mulheres foram mortas em 2015, de acordo com a comissão de direitos humanos do país.

  • Alemães protestam contra a Extrema-Direita
    0:39
  • Incêndio urbano em Coimbra deixa cinco pessoas desalojadas

    País

    Um incêndio numa habitação na cidade de Coimbra deixou este domingo cinco pessoas desalojadas, disse à agência Lusa fonte dos Bombeiros Sapadores. Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra adiantou que o fogo destruiu uma parte substancial de um edifício de três andares em frente à sede da Associação Académica de Coimbra, na rua Padre António Vieira.