sicnot

Perfil

Mundo

Dois portugueses retirados de cidade canadiana envolta em chamas

Pelo menos dois portugueses tiveram de abandonar a cidade canadiana de Fort McMurray, onde lavra um intenso incêndio, disse hoje à agência Lusa a cônsul-geral de Portugal em Vancouver.

© Chris Wattie / Reuters

Os dois portugueses estão agora "em segurança", explicou Maria João Boavida, adiantando que a saída da cidade aconteceu de forma "ordenada e tranquila tanto quando foi possível".

Até agora, o consulado "não foi contactado por cidadãos portugueses que necessitem de apoio consular, nem tem conhecimento de mais portugueses" que tivessem sido retirados da área afetada pelo incêndio.

O incêndio em Fort McMurray já levou à destruição de mais de duas mil casas, obrigando à evacuação de várias localidades.

Desde domingo, mais de mil quilómetros quadrados de floresta foram consumidos pelas chamas, o que corresponde a uma área equivalente a dez vezes a cidade de Paris.

A diplomata, também responsável pela província de Alberta, confirmou ainda que os dois portugueses estão agora em Edmonton, a 430 quilómetros de Fort McMurray.

"Fort McMurray tem uma população temporária muito importante, porque é a principal zona de exploração petrolífera de Alberta. Há muitos trabalhadores provenientes de outras províncias, como o Quebeque, Colúmbia Britânica ou da Nova Escócia, daí que o número de residentes possa efetivamente não responder aos habitantes registados na região", contou Maria João Boavida.

O Consulado Geral de Portugal em Vancouver vai continuar a acompanhar a situação "à distância", visto estar localizado a mais de mil quilómetros de cidades como Edmonton.

Cerca de 18 mil portugueses e lusodescendentes vivem na província de Alberta, concentrados maioritariamente nas cidades de Edmonton e de Calgary.

Quarenta fogos florestais estão hoje ativos em Alberta, dos quais cinco são considerados "fora de controlo". No local estão 1.200 bombeiros, apoiados por 110 helicópteros e 27 aviões de combate a incêndios.

Este é já considerado o maior desastre natural da história canadiana, com a reconstrução da cidade de Fort McMurray a ter um custo previsto de nove mil milhões de dólares canadianos (seis mil milhões de euros).

Lusa

  • Fogo na província de Alberta fora de controlo desde domingo
    1:53

    Mundo

    Continua sem controlo o incêndio florestal em Alberta, no Canadá. Cerca de 90 mil pessoas já abandonaram a zona e o Governo admite que tão cedo não vão poder regressar a casa. O fogo, que que deflagrou no domingo, queimou, até quinta-feira, 85 mil hectares de floresta.

  • Incêndio no Canadá já destruiu cerca de duas mil casas
    1:01

    Mundo

    O incêndio florestal em Fort McMurraym, no Canadá, continua fora de controlo. As chamas já destruíram cerca de duas mil casas na cidade no estado de Alberta e mais de 10 mil hectares de floresta. Todos os habitantes foram obrigados a sair das suas casas. Foi declarado o estado de Emergência em toda a província de Alberta.

  • Incêndio no Canadá pode reduzir cidade inteira a cinzas
    1:40

    Mundo

    Um incêndio em Fort McMurray, no Canadá, obrigou mais de 88 mil pessoas a abandonar as casas. Segundo as autoridades, o fogo poderá destruir a cidade inteira. As chamas estão a ser combatidas por centenas de bombeiros, com recurso a aviões e helicópteros. O perigo das chamas obrigou a ser decretado o estado de emergência.

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.