sicnot

Perfil

Mundo

Líder da Coreia do Norte admite usar armas nucleares para defender soberania

O presidente norte-coreano, Kim Jong-Un, afirmou hoje que o país apenas vai recorrer às suas armas nucleares no caso de a sua soberania ser ameaçada por outra potência nuclear.

© KCNA KCNA / Reuters

"Como um país com armas nucleares, responsável, a nossa república não vai usar armas nucleares a não ser que a sua soberania seja ameaçada por quaisquer forças hostis com ogivas nucleares", lançou o líder da Coreia do Norte durante o VII Congresso do Partido dos Trabalhadores, que se realiza na capital, Pyongyang.

Segundo a agência de notícias estatal norte-coreana, Kim Jong-Un prometeu que o país vai "cumprir fielmente" as suas obrigações de não-proliferação e impulsionar a desnuclearização em termos globais.

A Coreia do Norte abandonou o tratado de não-proliferação (NPT, na sigla inglesa) em 2003, tendo sido o primeiro país signatário a fazê-lo.

Por altura do seu primeiro teste nuclear, em 2006, a Coreia do Norte assegurou que "nunca seria a primeira a usar armas nucleares", mas, desde então, tem feito repetidas ameaças de ataques nucleares preventivos contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos.

A Coreia do Norte iniciou na sexta-feira o VII Congresso do Partido dos Trabalhadores, o primeiro em 36 anos, em que se espera que sejam anunciadas decisões políticas e económicas sobre o futuro do regime.

Durante o discurso de inauguração, Kim Jong-un exaltou os últimos testes nucleares e lançamentos de mísseis realizados pelo regime, afirmando que fortaleceram a "dignidade e o poder do país".

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.