sicnot

Perfil

Mundo

Chanceler da Áustria demite-se após derrota eleitoral

O chanceler austríaco e líder do partido social-democrata SPÖ, Werner Faymann, demitiu-se hoje de todas as suas funções, duas semanas depois de o partido ter sido derrotado na primeira volta das eleições presidenciais.

Reuters

"Ele demite-se de todas as suas funções", afirmou hoje Anja Richter, uma porta-voz da chancelaria, em declarações à agência noticiosa francesa AFP.

Em 24 de abril, o candidato da extrema-direita Norbert Hofer foi o mais votado na primeira volta das eleições presidenciais austríacas e o candidato do SPÖ foi afastado da corrida eleitoral.

Pela primeira vez, o SPÖ e o partido conservador (ÖVP), que governam a Áustria em coligação desde 2008, foram afastados nesta fase do escrutínio, cuja segunda volta está agendada para 22 de maio.

Este resultado, inédito desde a Segunda Guerra Mundial, provocou estragos no seio das duas forças políticas, nomeadamente nos sociais-democratas, onde a legitimidade de Faymann já estava a ser questionada.

Está prevista para hoje uma reunião dos órgãos do partido.

Na primeira volta das presidenciais, o candidato do partido de extrema-direita FPÖ, Norbert Hofer, obteve 36,4% dos votos, o que representou o melhor resultado da força política numa eleição nacional na Áustria desde a Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945).

Um ecologista, Alexander Van der Bellen, foi pela primeira vez o segundo candidato mais votado, com 20,4% dos votos.

O candidato social-democrata Rudolf Hundstorfer e o conservador Andreas Khol foram afastados da corrida presidencial ao conseguirem apenas 11,2% dos votos cada um.

  • Depois do Fogo
    23:30

    Reportagem Especial

    Foi o incêndio mais mortífero de que há memória. No dia 17 de junho, as chamas apanharam desprevenidos moradores de vários concelhos e fizeram pelo menos 64 mortos. O incêndio prolongou-se durante vários dias deixando um rasto de histórias de perda e de sobrevivência, mas também de solidariedade de um sem número de pessoas anónimas.

  • "A menina agora volta para casa. Nós não." 

    Foi o desabafo do Cesário que me fez escrever qualquer coisa sobre o que vivi na última semana. Eram dez e pouco da noite, tinha acabado a vigília de homenagem às vítimas em Figueiró dos Vinhos e ele ainda tinha na mão um balão branco que àquela hora já só estava meio cheio. Era o último dia de uma longa e dura jornada de trabalho e estávamos a arrumar as coisas para no dia seguinte regressarmos a Lisboa.

    Débora Henriques

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Novo avião da TAP com pintura retro
    0:36

    Economia

    O novo avião da TAP chama-se "Portugal", tem uma pintura retro e vai sobrevoar os céus do pais a partir desta segunda-feira. A companhia aérea explica que o nome e a pintura são uma forma de homenagear a ligação histórica entre a empresa e o país.

  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia.