sicnot

Perfil

Mundo

Chanceler da Áustria demite-se após derrota eleitoral

O chanceler austríaco e líder do partido social-democrata SPÖ, Werner Faymann, demitiu-se hoje de todas as suas funções, duas semanas depois de o partido ter sido derrotado na primeira volta das eleições presidenciais.

Reuters

"Ele demite-se de todas as suas funções", afirmou hoje Anja Richter, uma porta-voz da chancelaria, em declarações à agência noticiosa francesa AFP.

Em 24 de abril, o candidato da extrema-direita Norbert Hofer foi o mais votado na primeira volta das eleições presidenciais austríacas e o candidato do SPÖ foi afastado da corrida eleitoral.

Pela primeira vez, o SPÖ e o partido conservador (ÖVP), que governam a Áustria em coligação desde 2008, foram afastados nesta fase do escrutínio, cuja segunda volta está agendada para 22 de maio.

Este resultado, inédito desde a Segunda Guerra Mundial, provocou estragos no seio das duas forças políticas, nomeadamente nos sociais-democratas, onde a legitimidade de Faymann já estava a ser questionada.

Está prevista para hoje uma reunião dos órgãos do partido.

Na primeira volta das presidenciais, o candidato do partido de extrema-direita FPÖ, Norbert Hofer, obteve 36,4% dos votos, o que representou o melhor resultado da força política numa eleição nacional na Áustria desde a Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945).

Um ecologista, Alexander Van der Bellen, foi pela primeira vez o segundo candidato mais votado, com 20,4% dos votos.

O candidato social-democrata Rudolf Hundstorfer e o conservador Andreas Khol foram afastados da corrida presidencial ao conseguirem apenas 11,2% dos votos cada um.