sicnot

Perfil

Mundo

Estátua de Hitler arrematada por 17,2 milhões de dólares em leilão em Nova Iorque

Uma estátua de Hitler foi arrematada no domingo por 17,2 milhões de dólares num leilão em Nova Iorque, um recorde mundial para o artista italiano Maurizio Cattelan.

(AP/ Arquivo)

(AP/ Arquivo)

AP

Segundo as expectativas, a estátua, de cera e resina, intitulada "Ele", criada em 2001, devia ser arrematada pelo valor de entre 10 a 15 milhões de dólares no leilão da Christie's.

O anterior recorde de venda de uma obra de Maurizio Cattelan, de 55 anos, era de 7,9 milhões de dólares.

Hitler surge representado do tamanho de uma criança, de joelhos, com as mãos entrelaçadas, dando a ideia de que se encontra a rezar.

A estátua, exibida numa retrospetiva de Maurizio Cattelan no museu Guggenheim, em Nova Iorque, em 2012, foi a principal obra de uma exposição temática intitulada "Bound to Fail" ("Destinado ao fracasso"), que reuniu 39 peças de arte moderna e contemporânea, organizada pela casa leiloeira Christie's.

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.