sicnot

Perfil

Mundo

Estátua de Hitler arrematada por 17,2 milhões de dólares em leilão em Nova Iorque

Uma estátua de Hitler foi arrematada no domingo por 17,2 milhões de dólares num leilão em Nova Iorque, um recorde mundial para o artista italiano Maurizio Cattelan.

(AP/ Arquivo)

(AP/ Arquivo)

AP

Segundo as expectativas, a estátua, de cera e resina, intitulada "Ele", criada em 2001, devia ser arrematada pelo valor de entre 10 a 15 milhões de dólares no leilão da Christie's.

O anterior recorde de venda de uma obra de Maurizio Cattelan, de 55 anos, era de 7,9 milhões de dólares.

Hitler surge representado do tamanho de uma criança, de joelhos, com as mãos entrelaçadas, dando a ideia de que se encontra a rezar.

A estátua, exibida numa retrospetiva de Maurizio Cattelan no museu Guggenheim, em Nova Iorque, em 2012, foi a principal obra de uma exposição temática intitulada "Bound to Fail" ("Destinado ao fracasso"), que reuniu 39 peças de arte moderna e contemporânea, organizada pela casa leiloeira Christie's.

  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Rui Rio comprometeu-se a realizar apenas dois debates
    0:45

    País

    Rui Rio disse esta terça-feira que foi apanhado de surpresa com a mudança de posição de Pedro Santana Lopes, que exige três debates entre os dois candidatos à liderança do PSD nos canais generalistas. Rui Rio reiterou ainda que se comprometeu a fazer apenas dois debates.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.