sicnot

Perfil

Mundo

Líder da Coreia do Norte nomeado presidente do partido único no poder

O dirigente norte-coreano Kim Jong-un foi hoje nomeado presidente do Partido dos Trabalhadores da Coreia, partido único no poder.

reuters

O chefe de Estado da Coreia do Norte, Kim Yong-nam, cuja função é sobretudo protocolar, anunciou a decisão aos jornalistas estrangeiros convidados a assistir aos trabalhos do congresso do partido, o primeiro em 36 anos.

Kim Jong-un, de 33 anos, era até aqui primeiro secretário do partido, tendo sido nomeado durante o congresso para o cargo, criado especialmente para o líder norte-coreano.

O avô do atual líder, Kim Il-sung, foi nomeado "presidente eterno" do partido, quando o pai de Jong-un, Kim Jong-il, era secretário-geral do órgão de decisão mais importante do país.

Kim Jong-un presidiu à reunião política, que não se celebrava desde 1980, e na qual participaram quase 3.500 delegados.

No segundo dia do VII congresso, o líder proferiu um discurso de mais de três horas, no qual incluiu uma mensagem de conciliação dirigida à comunidade internacional e um plano económico de cinco anos.

O plano do líder prevê o desenvolvimento económico e o aumento da "força nuclear autodefensiva", de acordo com a agência noticiosa France Presse (AFP).

A Coreia do Norte abandonou o tratado de não-proliferação (NPT, sigla inglesa) em 2003, tendo sido o primeiro país signatário a fazê-lo.

Por altura do primeiro teste nuclear, em 2006, a Coreia do Norte garantiu que "nunca seria a primeira a usar armas nucleares", mas, desde então, tem feito repetidas ameaças de ataques nucleares preventivos contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos.

As duas Coreias continuam tecnicamente em guerra, uma vez que o conflito de 1950-53 terminou com a assinatura de um armistício e não de um tratado de paz.

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida