sicnot

Perfil

Mundo

Quase metade dos europeus gostaria de referendar a permanência na UE

Quase metade dos europeus gostaria de votar num referendo sobre a permanência do seu próprio país na União Europeia, de acordo com uma sondagem da agência Reuters.

JULIEN WARNAND

No total foram entrevistadas mais de seis mil pessoas de nove países europeus, nomeadamente Bélgica, França, Alemanha, Hungria, Itália, Polónia, Espanha e Suécia.


45% dos inquiridos disseram que gostavam de ser consultados num referendo, à semelhança do britânico que acontece no dia 23 de julho.


Itália e França revelaram maior intenção de votar numa possível saída mas a vontade de sair da União Europeia não superou os 50% em nenhum dos países.

  • Cameron volta a apelar ao voto na manutenção do Reino Unido na UE
    0:37

    Mundo

    O Reino Unido estará em maior segurança no seio da União Europeia (UE) e, se o referendo de 23 de junho ditar a saída dos "28", a paz na Europa poderá estar ameaçada, afirmou hoje o primeiro-ministro britânico. Para David Cameron, é do "interesse nacional do Reino Unido "manter o objetivo comum na Europa", de forma a evitar futuros conflitos entre países europeus.

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram dvulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.