sicnot

Perfil

Mundo

Brasil disposto a receber 100.000 refugiados sírios

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, disse esta terça-feira que o Brasil está disposto a receber 100.000 refugiados sírios nos próximos anos, sujeito a negociação e às condições do país para isso.

(arquivo)

(arquivo)

Amel Emric

"Talvez até em torno de 100.000, levando em consideração grupos de 20.000 cada ano", respondeu à agência Lusa o governante, durante a conferência de imprensa de apresentação do relatório "Sistema de Refúgio brasileiro - Desafios e Perspectivas" do Comité Nacional para os Refugiados (CONARE) e do Ministério da Justiça.

O titular da pasta da Justiça frisou que esse era o objetivo inicial do Estado brasileiro, mas que está "sujeito de negociação".

"O contingente que nós poderíamos receber dependeria muito do tipo de cooperação", vincou.

O ministro da Justiça tem feito contactos com a embaixada da Alemanha em Brasília e também com a representação diplomática da União Europeia no país, a fim de apresentar a abertura do Brasil para discutir novas formas de colaboração com os países que estão sofrendo um fluxo de requerentes de refugiados.

A ideia, explicou, é receber "refugiados diretamente dos acampamentos", "ainda em local de crise" e "não assumir refugiados que já estão na Europa".

Contudo, Eugênio Aragão lembrou que "as condições orçamentais este ano não são muito favoráveis", porque o país vive um "ano extremamente complicado e agora agravado com a crise politica, que levou à paralisação de todos estes esforços".

"Recebemos relativamente poucos refugiados" comparando com "Estados Unidos, Europa, certos países asiáticos e Austrália", e "essa demanda vai crescer", justificou.

O ministro da Justiça destacou que a postura política do Brasil "tem sido de uma grande abertura em relação a problemática dos refugiados do mundo".

"A nossa política migratória dos últimos anos foi muito mais liberal, mais aberta (...) Procuramos ser algum exemplo neste mundo conturbado, de fronteiras mais fechadas", referiu.

Numa altura em que a Presidente Dilma Rousseff pode vir a ser afastada do cargo, devido ao processo de pedido de 'impeachment' (destituição) que tramita no Senado, depois de ter sido aprovado na Câmara dos Deputados, o ministro ressaltou que esta postura em relação aos refugiados é do Estado brasileiro e não do governo Dilma.

O representante da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) no Brasil, Agni Castro-Pita, expressou o seu agradecimento ao Brasil e alertou para o número de refugiados atual - "20 milhões" - e que se trata da maior crise humanitária desde a II Guerra Mundial.

"A crise dos refugiados afeta a todos os continentes. A crise humanitária é muito séria, sobretudo pela resposta e políticas restritivas dos governos", alertou.

Segundo dados divulgados hoje, entre 2010 e 2015 as solicitações de refúgio aumentaram 2.868% no Brasil.

Em abril, o país contava com 8.863 refugiados registados.

Os cidadãos sírios representam hoje o maior grupo de refugiados a viver no país (2.298).

Apesar de o maior número de requerimentos vir do Haiti, em novembro, o Ministério do Trabalho passou a tratar destes casos específicos, por se tratarem não de refugiados, mas de imigrantes em busca de trabalho, daí que este grupo não apareça nas estatísticas dos refugiados a viver no país.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Passageiros do voo da Southwest Airlines usaram as máscaras de oxigénio ao contrário

    Mundo

    Uma pessoa morreu e sete outras ficaram feridas esta terça-feira depois de um avião da Southwest Airlines ter aterrado de emergência no aeroporto de Filadélfia, nos Estados Unidos. Ao longo da semana várias pessoas ligadas à aviação fizeram comentários sobre a forma como os passageiros utilizaram as máscaras de oxigénio, como é o caso de Bobby Laurie, um ex-comissário de bordo.

    SIC

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Cultura

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Mágico comove audiência do Britain's Got Talent com a história de cancro da mulher e da filha
    5:16