sicnot

Perfil

Mundo

Canadiano com 15 anos descobre cidade maia sem sair de casa

O adolescente canadiano William Gadoury, de 15 anos, descobriu uma antiga cidade maia, na selva do Iucatão, sem sair de casa, apenas a ver imagens de satélite a partir do seu computador, informaram hoje meios locais.

Facebook William Gadoury

Gadoury, que confessa o seu fascínio pela civilização maia, descobriu que a situação de estrelas em diversas constelações correspondia à localização de 117 conhecidas cidades maias.

A correspondência entre constelações e cidades maias é uma revelação que nunca tinha sido descoberta pelos arqueólogos e outros cientistas que durante séculos estudaram a civilização meso americana, que se desintegrou antes da chegada de Cristóvão Colombo, em 1492.

Gadoury reparou que, no caso de uma constelação de três estrelas, apenas dois astros correspondiam a outras tantas cidades, pelo que começou a investigar se poderia haver uma urbe ainda não descoberta.

O adolescente canadiano começou a estudar imagens de satélite proporcionadas pela agência espacial canadiana (CSA, na sigla em Inglês) até que descobriu o que pareciam estruturas humanas na selva do Iucatão, no sudoeste do México.

Tanto a CSA, como as agências espaciais dos EUA e do Japão corroboraram que as estruturas descobertas pelo jovem correspondem a uma pirâmide e a cerca de 30 edifícios do que parece ser uma das maiores cidades da civilização maia.

Gadoury batizou a nova cidade como "K'ÀAK' CHI'", que significa "Boca de Fogo" na língua maia.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.